Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

ABUSADA 1ª PARTE

No fim de semana passado, fui no sitio da avá da Fábia. Ela me falou que ia ter, pagode, churrasco e tauz porque era aniversário do avô dela e quase toda a família ia estar lá.

Ela tem um primo muito gostoso, o Eduardo. A gente já tinha ficado, já tinha rolado até uns amassos mas nunca passou disso. Ele é um homem negro, alto uns 1,90 de altura, magro e agora já tem 29 anos.

Quando chegamos lá, parte da família já estava na piscina e confesso que eu fiquei com tanto tesão quando vi ele sá de sunguinha marcando aquele cacete por baixo que minha calcinha ficou úmida na hora.

De cabelos presos, sandálias havaianas e num conjunto preto de top e shortinho bem curto que mostra as minhas nádegas, fui entrando com a Fábia e falando com quem eu já conhecia e os outros ela foi me apresentando.

Percebi que o Eduardo me comeu com os olhos....mas, ele também tava muito gostoso, aquele corpinho magro, sentado na beirada da piscina, todo molhado...hummm...quando eu olhei já fiquei animada!..rssss.

Depois que cumprimentei quase todo mundo fui falar com ele, que me abraçou e disse no meu ouvido: - Nossa, quanto tempo! Você tá uma delicia, heim?

No abraço, senti o cacete dele encostando na minha coxa, que apesar de estar mole por baixo daquela sunguinha, me fez amolecer as pernas. O dia foi rolando tranquilo e eu fiquei trocando olhares com ele e as vezes sorrindo bem de leve. Por várias vezes também flagrei ele olhando pra minha bundinha, que o meu shortinho apesar de curto ainda marcava a minha calcinha. Me senti gostosa e provocante.

Quando chegou no final da tarde a Fábia perguntou se eu podia dormir la com ela porque como os pais dela tinham bebido além da conta não poderiam dirigir naquele estado. Eu liguei pra minha mãe e ela deixou numa boa.

Apesar de querer ficar, eu disse para a Flávia: - Amiga, eu não trouxe pijama, toalha...tipo essas coisas. Estou sá com a roupa do corpo. Existe alguma loja aqui perto para eu poder comprar essas coisas?

Ela caiu na risada, para o meu espanto e respondeu: - Ah Cinthia! Sá você mesma! Aqui é fim de mundo menina! Escova de dente, creme dental, tipo essas coisas a gente pode comprar na Venda do Sr. Onofre, amigo do meu avô, que fica na rua debaixo mas, pijama, camisola, calcinha, toalha...tá difícil viu? Uma das tias dela escutou a nossa conversa e foi logo falando: - Flávia, leva ela na casa da Dona Lourdes que fica 3 quadras da Venda do Sr. Onofre. Ela é sacoleira e geralmente tem muita roupa!. A Flávia riu de novo, olhou pra mim e perguntou: - Você se importa, de comprar roupas na sacoleira?. Rindo também mas, como aquela era a única saída respondi:- Claro que não! Vamos lá, então.

No caminho a Flávia começou a falar do primo dela... que ele era um tesão, que tinha muita menina dando mole pra ele e que simplesmente era doida pra dar pra ele mas, sendo sua prima jamais faria aquilo e tauz. Que também tinha percebido o jeito descarado que ele me olhava na festa.

Me fazendo de desentendida eu respondi: - Nossa! Nem tanto né amiga! Eu e o Eduardo já ficamos uma vez e pode ser por isso que ele me olha diferente.

Bom, depois das comprinhas básicas nos voltamos e como já estava anoitecendo e muita gente já tinha ido embora, fomos tomar banho. Mais tarde, fomos para a sala, ligamos a TV e não demorou muito pra todos irem dormir, mesmo porque, a maioria estava bêbada e não se aguentava de vontade de deitar. O Eduardo chegou e ficamos os três conversando sobre uma porção de coisas. Tipo, umas 19 horas da noite, a Fávia começou a bocejar dizendo que estava com sono e o Eduardo também falou que ia deitar porque estava cansado de tanta piscina e começou a arrumar o travesseiro, lençol e coberta no sofá da sala mesmo. Desligamos a TV e fomos dormir. Lá pelas 2 horas da manhã eu acordei com sede e não conseguia mais dormir. Resolvi ir até a cozinha e quando passei pela sala pra minha sorte e espanto ele estava dormindo de cueca, daquelas bem fininhas e claro, todo descoberto.

Na hora minha calcinha ficou molhada. eu olhei em volta pra ver se havia mais alguém por ali e um pouco nervosa, passei a mão bem de leve no seu cacete, por cima da cueca. Nessa hora o Eduardo se mexeu e eu fiquei gelada de medo e vagarosamente dei uns passos para trás, mas ele parecia estar dormindo ainda e fiquei mais aliviada, apesar que o meu coração tinha disparado.

Quando criei coragem e voltei a ficar mais perto dele, o tesão aumentou quando vi ele ali deitado no sofá com aquele cacete lindo duro feito pedra empurrando o tecido da cueca pra cima. Então, tive a certeza de que ele mesmo dormindo, sentiu o meu toque. Eu fiquei louca pra chupar aquele mastro enorme, duro e lindo. Fiquei ajoelhada ao lado do sofá e fui chegando pertinho dele e sentindo aquele cheiro de cacete que acabou me deixando mais excitada ainda.

Me achei uma puta naquela hora, uma cadelinha no cio querendo ser agarrada de qualquer jeito. Minha xaninha ficou molhada, quente e se contraia por dentro da minha calcinha. O suor escorria pelo meu reguinho, umedecendo o meu cuzinho me fazendo pensar loucuras.

Nessa hora eu levei o mair susto porque ouvi um barulho vindo lá de dentro da casa e fiquei morrendo de medo que alguém me visse ali, perto dele. Sai correndo e voltei pro quarto, a minha sorte é que a Flávia ainda estava dormindo.

Resolvi fingir que estava dormindo mas ouvia passos no corredor. Fiquei fingindo que estava dormindo mas com os olhos, quase abertos para ver o que iria olhar mas, logo alguém que tinha levantado voltou para o quarto e o silêncio parecia que ia voltar...e foi quando eu vi e ouvi a Flávia se mexer e levantar da cama. Esperei um pouco e levantei também e fui atrás dela bem devagarinho. Notei que ela parou perto do sofá e que ele ainda estava deitado de barriga pra cima. Tinha certeza de que ele ainda estava dormindo e de cacete duro porque ela quando chegou perto ficou paralisada parecendo que nunca tinha visto um cacete daqueles. Acho que ela ficou tarada depois que viu o cacetão dele porque começou acariciando suas coxas, seus peitos e todo o corpo por cima da camisola enquanto olhava pra ele.

Derepente acho que ela ficou com mêdo e foi saindo ai eu vi quando ele agarrou e deu um beijo nela. No início ela tentou evitar mais a carne foi fraca e acabou cedendo e ele começou a beijar loucamente ela, parecendo um leão com fome. Ela mais uma vez tentou fugir e desta vez ele a agarrou pela cintura e falou: - Ah, priminha, pode deixar que eu faço tudo o que você quiser! Não foge não! Sá estamos nois dois aqui...o resto está dormindo.

A coisa foi ficando cada vez mais quente e então eu podia ver aquele enorme cacete duro como pedra por baixo da cueca encoxando nela. Ele começou a passar a mão na bunda dela e ela foi ficando mais vermelhinha e disse: - Eu vou pro banheiro e vou deixar a porta aberta, não tem ninguem acordado agora...vai lá, então tá?.

Aproveitei que eles não tinham me visto, corri e me escondi no quarto. Ouvi quando ela passou e logo depois ele. Quando tive certeza de que a porta do banheiro estava fechada sai do quarto e colei o meu ouvido na porta e comecei a tentar escutar o que os dois estavam fazendo, lá.

Fiquei escutando os dois se beijarem, beijarem e logo ele falou alguma coisa que eu não entendi, então ouvi ela dizer : - Aí, que gostoso, tá bom, pode, ai, vem, vem agora, ai, ai, ai .. e começou a gemer baixinho.

Fiquei molhadíssima e louca de tesão porque sabia que ela estava dando pra ele...confesso que fiquei com uma certa inveja dela porque queria estar no lugar dela.



Continua...



Beijos,



Cínthia



[email protected]





VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Conto gay dando na festaconto gay fio dental humilhado pelo negrohomen dando cu para a gradeucache:FPfKk_mm7mAJ:okinawa-ufa.ru/conto-categoria-mais-lidos_9_9_zoofilia.html contos eróticos minha tia virou p*** do seu sobrinhomeu pai me insino a fudeele arreganhava minha bucetaconto erotico defia um diero comi ela pornocontos gay garotinhoContos eroticos trans cunhadacontos eroticos de casais a3Contos de esposa gostosa acompanhado marido numa festaconto erótico meu sogro bem dotadoJogadora Curradapica de bode contoarrombei a minha sogra chifreiracache:oIMLEWITCAIJ:okinawa-ufa.ru/home.php?pag=99 minha sogra me deucontos rael eu miha mae sobrimasconto comendo as duas patricinhascontos eroticos coroa velhocontos na praia com a sograContos so gosta das grossas no cuContos eroticos gorda de shortinhoxvideo esposo pauzudo fode sua esposa dondinha contoeroticocasadacoroa de cabelos branco enchuta dando gostosoesposa puta do meu tio corno contoporno putinha magrinha i e minha sobrinhaContos os velhos chupam melhor uma bucetaa minha cunhada casada e saia justa contos com fotosconto primeira peitinhoconto de sexo com rabuda asquerosoconto erótico transex comendo a mulher do vizinhoUsando ropa de mulher curtinha conto gayDei o cu contosvonto erotico cadsfa msnprofessora novinha e senha resolvi dar o c******contos eroticos de homens que vestem as calcinhas das esposas e saem com travesticonto erotico viadinho de calcinha no borracheirocontos eroticos putaria entre familiaContos minha sogra quis medir meu paucontos erotico fodi minha subrinha inocente dopadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos gay o padrastoconto porno provoquei meu irmabraquinha da bucetona enchada no pou gosadocontos erótico rodeios da minha filhacontos eroticos a dona da lanchonetecontos eróticos novinhos apetitososcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto lesb velhas fupasando a mão na buceta da mulher com calsprima gravida e primo contostarado.tira.vigidadi.da.entidas.novinhas.come.o.cu.elas.gritaContos namorada arrombada por doiscontos eroticos enrabei minha irma gostoza e casadaconto eróticos menininha entrando na picamilia fudedoMeu cunhadinho me fodeu na festa.contosContos eroticos como chantagieivídeos de porno primeira vez dando cu ela chora fico Duda ora tirando pau do cu fica porno a maucontos eroticos virei mulher do meu tio safadoconto erotico.sou madura e surubacontos eróticos d incesto irmã médica dormindo peladacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos viciados em porracheirei o fundinho da calcinha usada da minha tia safada contoso filho da puta dormiu e me gastaram toda pornô contoscontos o pastor maduro gaycriola no cuinho nao e nao guento