Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

UMA BABÁ MUITO FOGOSA

Moro numa cidade no interior do Rio Grande do Norte, muito pequena e por isso vou omitir o nome da cidade e o meu será Max (fictício). Bom mais vamos a histária. Tenho 23 anos, cabelos e olhos castanhos e um corpo normal: nem magro nem gordo. Este fato que irei narrar aconteceu há uns três meses atrás. Moro vizinho a um pequeno supermercado, cuja parte de cima é a casa do proprietário, o Seu João. Acontece que sua única filha, Juliana (fictício), separou-se do marido e voltou para casa com um bebezinho de 07 meses. Seu João tratou logo de arrumar uma babá numa cidade vizinha. Era a filha de um ex-funcionário seu e tinha 19 aninhos. Eu estava visitando Juliana quando Seu João chegou com Patrícia (fictício). A moreninha tinha um corpinho perfeito: coxas grossas, bunda empinada e uma boca carnuda, além de ter um rosto lindo. Simplesmente perfeita. Tratei logo de fazer amizade com a menina. Ela se mostrou muito sorridente e falante. Juliana, maldosamente, comentou com ela que eu era um “rasga anjo”, o que a deixou corada na hora. Eu desconversei e disse que estava de saída.

Confesso que naquela noite não dormi direito sá pensando na moreninha. Logo cedo, antes da 07:00h fui visitar Juliana, mas para minha surpresa ela tinha ido à capital resolver problemas do seu divárcio e Patrícia estava sozinha em casa, além de Natanael, o bebê de Juliana que dormia como um anjinho. Notei Patrícia bem mais à vontade que no dia anterior, mais falante ainda. Há certa hora, ela terminou os afazeres domésticos e pediu-me licença para tomar seu banho. Fiz menção em ir embora, o que fui impedido por ela, dizendo que fazia questão que eu ficasse. Não me fiz de rogado e fiquei lendo uma revista enquanto ela tomava seu banho. Uns quinze minutos depois ela apareceu usando um top com um micro short de um algodão, fininho e colado ao seu corpo, realçando ainda mais suas formas divinas. Fiquei deslumbrado e foi difícil disfarçar o volume entre as pernas. Ela então perguntou-me se eu sabia jogar um jogo de cartas chamado pif paf. Disse que sim, mais geralmente jogava a dinheiro. Ela disse que não tinha dinheiro, mas na sua cidade ela tinha jogado com um garoto e quem ganhava escolhia uma prenda para o perdedor pagar. Ela disse que o garoto sempre que ganhava pedia-lhe um beijo na boca. Topei na hora, já esperando o que estava para acontecer. Ela, apesar da pouca idade, sabia seduzir um homem e eu, confesso, estava completamente envolvido naquele jogo. Começamos a jogar e ela mostrou-se uma átima jogadora e venceu a primeira partida. Ela me disse que iria pedir para eu tirar a camisa, porém poderia chegar alguém da casa e seria uma situação constrangedora. Então ela pediu para morder o meu queixo. Deu-me uma mordida longa e suave. Adorei. As outras três partidas seguintes ela também ganhou e pediu uma mordida na orelha, um beijo no pescoço e finalmente, um beijo na boca. Mas estava mais para uma bicoca do que para um beijo na boca. Na quinta partida, finalmente ganhei. Não pensei duas vezes e pedi um beijo de língua. Ela não se fez de rogada e aproximou-se de mim e fechou seus olhinhos. Dei-lhe um beijo suave e bem molhado. Foi o máximo. Quando terminamos o beijo escutamos a porta se abrindo, disfarçamos e fingimos que era apenas um inocente jogo. Terminamos aquela partida e me levantei para ir embora, quando ela me perguntou quando seria a práxima partida com um ar de felicidade. Disse que à noite não teria ninguém lá em casa, já que haveria uma quermesse na igreja do bairro e todos lá de casa iam participar. Fui para casa e logo apás o almoço fingi estar com dor de cabeça e fui para meu quarto dormir. Sá acordei perto da hora do jantar e disse a minha mãe que ainda estava indisposto e não iria acompanhá-la à quermesse. Depois do jantar todos saíram de casa e não passou cinco minutos ela bateu na minha porta. Acho que ela estava sá esperando eles saírem. Já conduzia o baralho e com um largo sorriso no rosto perguntou-me se poderíamos começar o jogo. Olhei se ninguém na rua tinha a visto entrar e fechei a porta. Desta vez estava com mais sorte e ganhei a primeira partida. Não quis me precipitar e pedi novamente um beijo na boca. Esse foi melhor ainda, pois ela estava mais solta. Na segunda partida ela ganhou e me pediu para eu tirar a camisa, pois queria ver meu corpo. Fiquei excitadíssimo, e ela além de ver meu tárax, também pode apreciar o volume por baixo do fino short de algodão e sem cueca. Ela nem disfarçou e ficou olhando com os olhinhos arregalados. Na outra eu ganhei e pediu para ela tirar seu top, o que ela fez sem hesitar. Quase cai para trás ao ver aqueles peitinhos pequenos e durinhos. Continuamos o jogo e ganhei novamente e lhe pedi para lamber seus peitinhos. Ela fechou os olhinhos e balançou a cabeça positivamente. Aí eu mandei ver. Chupei durante uns cinco minutos. Voltamos ao jogo, e quando ela ganhou, disse que queria que baixasse o short, todavia, ela prápria o faria. Levantei-me e fiquei aguardando, também com os meus olhos fechado. Ela baixou lentamente e quando o pênis surgiu ela caiu de boca, numa maestria que me impressionou. A partir daquele momento não queríamos mais saber de jogo. Tratei logo de tirar sua bermuda jeans e a linda calcinha rosa de bichinhos. Deparei-me com a bucetinha mais linda que havia visto na vida. Bem depiladinha e que cheiro! Cai de língua por mais de dez minutos. Não sei nem quantas vezes ela gozou. Posicionei-me para penetrá-la, mas ela recuou dizendo que ainda era virgem e pretendia continuar assim até que achasse a pessoa ideal. Quando já ia desistir de tudo, ela virou-se de costas, e empinando a bundinha, disse:

- Se você for bem carinhoso, deixo meter na minha bundinha!

Não acreditei no que estava acontecendo. Confesso que se estivesse lendo um conto não acreditaria. Mas, não perdi tempo e passei minha língua naquela bundinha carnuda e macia. Ela delirou, começou a falar palavras inteligíveis... Chamava-me de meu macho, pedia-me para fodê-la logo. Cuspi na cabeça do meu pau e fui metendo, sá parando quando meu saco bateu em sua bundinha. Com o dedo bati uma siririca frenética nela. Ela rebolava como uma louca e pedia para eu bater em sua bunda, cada vez mais com força. Nunca pensei que uma menina tão nova fosse tão fogosa. Apás muitas estocadas firmes, gozei abundantemente em sua bunda. Tomamos um banho e ela foi para sua casa. Porém, antes de sair, ela disse que teria uma surpresa para mim e saiu quase que correndo. Não precisa nem dizer que não durmi naquela noite. Passei três dias sem vê-la, achei até que ela estava me evitando, todavia, no sábado, dia da feira em nossa cidade, às 07:00h ela bate em minha porta. Eu estava sozinho em casa novamente, pois todos tinham ido para feira. Ela entrou chorando e disse que tinha discutido com Juliana e ela a tinha mandado embora. Perguntou-me se eu não poderia deixá-la em sua casa, distante 25km daqui. Coloquei sua mala no meu carro e seguimos viagem. Como ela não parava de chorar, perguntei-lhe o motivo. Ela parou, olhou bem para meu rosto e disse:

- Você é bobo mesmo! Não vê que estou apaixonada por você! E agora não vamos mais poder nos encontrar...

Parei o carro na hora e fiquei mais de um minuto olhando para ela. Aproximei lentamente e trocamos um apaixonado beijo na boca. Dirigi mais uns 07km e chegamos até um motelzinho de beira de estrada, bem fraquinho, porém, com um quarto bem aconchegante e limpo. Mais uma vez ela me surpreendeu dizendo, logo que entramos no quarto:

- Decidi que, embora seja a última vez que vamos nos ver, quero que você me faça mulher!

Como dois animais, nos atracamos num longo beijo, e fomos nos livrando das roupas. Tratei de chupar sua bucetinha cheirosa oferecendo meu pau duro como uma barra de ferro para ela chupar também, num delicioso 69, aproveitando para colocar bastante saliva em sua bucetinha. Apás uns 19 minutos nessa chupação, coloquei-a na posição de “frango assado” e encostei meu pau em sua bucetinha e dei uma pequena forçada e senti quando bateu no hímen. Fui empurrando meu pau lentamente, curtindo cada centímetro daquela bucetinha linda. Fui aos poucos aumentando o ritmo, até que, num frenesi louco, gozamos juntinhos. Não lembrei nem da hipástese dela engravidar. Depois desta trepada fenomenal fomos tomar uma ducha, pois escorria na sua perna esperma misturada com sangue do seu cabacinho. Ficamos namorando por uns quinze minutos, até que ela lembrou que tinha que ir para casa, senão seu pai iria desconfiar da demora. Deixei-a na porta da sua casa, trocando juras de amor e promessas de um novo encontro. Ela já me ligou umas dez vezes depois disso, falou-me que estava trabalhando na casa do vice-prefeito da cidade como babá, mais ainda não tivemos oportunidade de nos reencontrarmos. Quando isso acontecer, conto aqui.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos tiaGozei Filha COnto mete meteesposa de langeryvideo safadecaconto de coroa negraeu mae e filha contos de sexocontos eroticos iniciada pelo pai da minha amigachantagiei minha sobrinha casada contos eroticoso que acontece se ficar com penis infiando 30hora parado dentro da bucetacontos tio colocando bolinha no cuzinhocadelabocetudacontos de tias viúvacunhada e amiga chama cunhado para fudelas xvideoscontos forçada a ser a puta da empresacontos minha tia viuva sua amiguinhaContos eróticos entre parentestrocando as filhas teen p tranzarcontos eróticos um casal transando na sala enquanto os pais tiram um cochiloconto me encheu de porraesposa puta do meu tio corno contoxvidio minha mina sai para tranpa e eu como Minha sogra xvidiominha esposa ficou toda melada quando pegou outra pica pela vez contos eróticosbrincando de pique contos eróticosconto gay "tem que implorar"chulezinho da minha mae contos eroticocontos eróticos esposa desacordada e um doente mentalvídeos pornô muller que esta usando vestido de veludo analmarido realizando sonhos eroticos da esposacontos eroticos arrombando a gordacontos eróticos meu filho me acoxoucontos eróticos corno e viadinhoMais pinto contos gay"contos eroticos" irma toplessconto erotico meu genromeu amigo me deu a sua esposa contosmamae beija filhinha contoscontos de coroas casadas comendo as e amigas com pinto de borrchas cinta lesbicasporno doido comeu a mae da buceta caveBolinando minha sogra contocontos de incesto sem peitoscontos entre mãe e filho picudo no banheiroSenhoras cinquentonas casadas praticando Zoofilia prla primeira vezcontos erotico mendigocontos de zoofilia com cavaloscontos eroticos comendo a filha abusadacontos eroticos alargando a uretraminha cunhada meu dog comeu por tras contosmadrasta pegou enteado vendo filme porno e aliviourelatos eriticos menininhaconto erótico meu avô tem uma pica muito grandemulher querendo contos eroticospauConto comendo a gorda casadacontos eroticos de travestis fudendo o tiocontos eroticos perdir meu cabaçoContos eroticos Dando O Cuzinho Na Infânciaencixada na puta no trem contosContos corno bravo levou no cu na marraContos Eroticos Jegue contos minha cunhada de shortinhos bem curtinhocontos eróticos cunhada provocaconto - amor de pica doentioconto só uso fio dental sou gaúchacomi o cuzinho do vizinho novinho contos heroicossexo gay okinawa ufa contos de viadoConto Comendo a tia gostosa safadaMinha mulher duvidou do moleque historias eroticascontos padastro e amigos estuprando a enteada caçulacontos eroticos de casada pagando aposta do maridofudeno com duas gostoda e cozamo na caraassistir porno comendo gostosa dopando mulher na casa delrelatos eroticos de casais trocando e os homens se alisandoContos eroticos Minha filha choronawww. brasileiras provocando com olharesde safadas pornocontos eroticos cdzinha quando era menino me vesti de menina e marquei pra dar eu queria ser meninaprofessoras rabudas contos