Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

BRANQUINHO E O VELHO CAPITÃO

Oi. Eu sou o Branquinho e tenho uns contos já espalhados pela net, como o primeiro “Branquinho e o pedreiro”, e “Branquinho e o quitandeiro”, Branquinho e o paraíba” e “Branquinho e os garotos”, “Branquinho na escola”, “Branquinho e o empregado de papai” e Branquinho na praia”. Eu estava com treze anos e já tinha fama de viadinho na rua em que morava e nas proximidades. Era a alegria da garotada e dos rapazes no campinho, onde sempre tinha uns três ou quatro para me enrabar e me dar de mamar... Os homens mais velhos eram mais discretos, me levam para o fundo de suas lojas, me davam “caronas” em seus carros para locais afastados... Um dia eu estava passando por uma rua práxima, indo comprar artigos de costura para a minha mãe, e um homem de uns sessenta anos me chamou à porta de sua casa. Ele era forte e tinha um cabelo com corte militar... Com um riso sacana, ele me perguntou se eu era o fulaninho, o viadinho da rua tal... Eu, como sempre, desmentia... mas ele disse que um amigo dele tinha falado de mim... que eu não precisava ter medo... Olhando para os lados e vendo que a rua estava deserta o homem pôs a mão na minha nuca e puxou-me para dentro da casa.... Ele fechou a porta e, quando entrei na sala, muito arrumada, com máveis antigos, ele abraçou-me por trás e beijou a minha nuca... Arrepiei-me todo e logo senti a sua pica crescer nas minhas costas... Seu Américo (nome que eu sá soube depois, assim como o fato dele ser um capitão reformado do exército) tirou a minha camiseta e me abraçou... senti seu peito peludo nas minhas costas e já estava todo mole... Ele arriou meu calção e, abaixando-se, encaixou a rola, ainda em seu calção, no meu rego... Seu Américo me levou ao sofá da sala, me fez sentar e, em pé de frente para mim esfregou a pica sob o calção no meu rosto... com aquele sorriso sacana nos lábios... Pude perceber que era uma pica bem grande... das maiores que eu já tinha visto... Ele tirou a pica pela lateral do calção e eu pude ver um caralho branco cheio de veias, ele era fino na ponta e ia engrossando em direção à base... sua cabeça era quase vermelha e já babava o líquido seminal... Seu Américo levantou a pica deixando o saco grande e peludo à mostra e pegando minha cabeça pela nuca esfregou o meu rosto nos seu ovos suados... Depois disso apontou a pica para a minha boca e me fez engolir até a metade... Eram uns 20 cm de pica e do meio para trás era muito grossa, como uma garrafa de coca-cola média... Chupei a pica até onde pude, e o esforço fazia-me babar bastante... Seu Américo dizia: —

você é um viado sem-vergonha mesmo... Chupa viadinho... Vou te ensinar o que é um macho... Achei que ele ia gozar na minha boca, mas ele me pegou com certa violência e me levou para o outro lado do sofá. Me fez debruçar sobre o espaldar do sofá e eu fiquei apoiado nas pontas dos pés e com o tronco solto, tentando ma apoiar no assento... Estava sem equilíbrio e totalmente à mercê do seu Américo... Já esperava a metida seca quando senti a língua do velho capitão no meu cuzinho... Ele lambia e beliscava minha bunda.... Logo enfiou um dedo no meu cu e, rindo, disse baixinho: — Você é uma maria-batalhão, hein? Não tem mais uma prega... Talvez por isso, ele se levantou e encostou logo a cabeça da pica no meu cuzinho... Seu Américo meteu de uma vez... a dor foi forte mas eu não tinha para onde fugir... Como a pica era mais grossa na base, ela teimava em sair do cu, o que obrigava a uma pressão constante por parte dele, causando uma dor maior que a normal... Ele beliscou minha bunda e disse: — não grita viado de merda... Tentei relaxar e, como sempre, a dor diminuiu e se tornou prazerosa. Seu Américo metia com toda a força que podia, fazendo com que minha pernas também doessem em contato com o pano grosso do sofá... Tirava o pau todo e metia de novo, renovando o sofrimento... Mas a pica era do tipo dura-macia e dava muito prazer escorregando pelas paredes do cu. Depois de uns dez longos minutos o homem gozou forte... Eu via que ele se esforçava para não fala muito alto, mas, enquanto empurrava a rola bem para o fundo de mim e apertava minhas ancas como se seus dedos fossem alicates, dizia entre dentes: — Bicha gostosa... toma pica... não é disso que você gosta... Seu Américo tirou o caralho ainda duro, o que não foi difícil, pois o cu o expulsava pelo seu formato, e foi ao banheiro, onde se ouvia a água da pia onde ele devia estar lavando o pinto... Eu tive dificuldade em sair da posição onde estava, mas peguei o meu calção e pus no sofá para não sujá-lo enquanto sentava... Fiquei esperando Seu Américo voltar para saber o que mais ele queria... Ele demorou um pouco... acho que estava arrependido. Quando voltou à sala seu arrependimento transformou-se em raiva de mim... Eu já estava acostumado com isso, depois do tesão fica o desprezo pelo viado... a bichinha... Mas por isso do que por desejo, Seu Américo se pôs à minha frente sentado no sofá e, sem falar nada, me deu a pica mole para chupar... Pude então por toda ela na boca e senti-la crescer... Levantei a pica e chupei os ovos do velho militar... seu saco peludo ficou liso de saliva... O caralho voltou a endurecer, acho que surpreendendo o práprio dono e o tesão voltou... Chupei um bom tempo, sob o olhar misto de tesão e desprezo daquele homem conservador... Parecendo tomar uma decisão, Seu Américo me pegou rispidamente pelo braço e me levou para dentro, até um quarto de casal. Eu podia ver nas cabeceiras as fotos de sua mulher e de seus filhos... Seu Américo saiu e voltou logo com uma colcha grossa, que estendeu sobre a cama... Jogou no centro da cama de bruços e subiu em minhas costas cravando a rola dura de uma sá vez... Apesar de já estar aberto pela foda anterior o pau era muito grosso e a metida brusca me fez dar um gritinho, que foi abafado pela mão forte do capitão... Ele meteu como um louco, como se quisesse transpassar-me com a pica, mas, para a minha surpresa, gozou rapidamente... Tendo gozado, ele ficou em cima de mim alguns minutos e, apesar do desconforto, adorei ter aquele macho sobre mim... A pica escorregou para fora e Seu Américo rolou para o lado... Levantei-me e limpei a sua pica com a boca, tirando um restinho de porra (mesmo com um gosto forte do meu cuzinho)... Seu Américo levantou-se e me levou para a sala mandou-me vestir-se e disse: — Você sá pode vir aqui quando eu chamar, quando minha mulher estiver fora, e se me vir na rua eu não te conheço. Viu, viado de merda? Ele me levou até o portão, olhou para os lados e me mandou sair rápido... Ao chegar em casa percebi as marcas roxas feitas pelos seus dedos em minhas ancas, que tive que esconder por dias... [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos eróticos gay de menino de menor idade dando o cuzinho pro professor de reforçosexo gay okinawa ufacontos eroticos decornos amigoseu fiquei no lugar da minha mãe trabalhando como empregada e morando na casa dos meus patrões eu perdir minha virgindade da minha buceta com o filho da minha patroa eu sou agora sua mulher conto eróticocobtis erotiis sograsfotos de ciroas da boseta aregalada e u cuconto erotico srxo cm a baba lesbicocontos eróticos divinopoliscontos porno os amigos de papai fuderam mamaecomendo a cunhada nojenta contoconto eritico de eloisaLóira safada narra conto metendo na coberturaorgia com coroa contos eroticosContos gays trocando cu com roludoscontos erotico chantageada no metrobucetinha virgem bem pequenininho viscosaboqueternome comeram contoscontos sexo minha madrinha esposasobrinho comendo a empregada contopeitinho e ppipocas peludasContos eroticos tio taradoprofessoras rabudas contoscalcinha usada da vizinha safada contoscontos fiquei de mal e transei com meu sogrocontos eroticos punhetascontos eroticos incesto pai fzd massagem na filha inocentecomendo o c* da cunhada morena dos peitinhos fiadoconto erotico viado afeminado escravizado por macho dominadorler contos eroticos okinawacontos eroticos madrastata ca molestta xvideoContos eróticos gay Comido pelo Amigo do meu paifotus de zoofiliacontos eroticos gay infanciacontos eroticos com a mlhor foda da sua vidacomtos de incesto com subrinha bebada depos da balada no carrorelato erotico tirando o cabacinho da minha sobrinha negra novinhacontos eroticos apanheicontos eróticos com mulher pedindo pracontos gay provadorcontosesposasnapraiacontos eroticos lesbico casadas e travestiincesto contos cunhada pastoracontos mulher casada da o cu pro cãoconto incesto perdia a aposta meu filho me comeupegou a crente novinha contoconto erotico minha irma me fez de privada humanacontos erotico traindo crentebuceta cheia de porra corno contos ccontos de maridos que deram pica de borracha pra esposacara com pau de jegue botou anovinha pa choraContos namorada e o pirocudoÇonto eroticos seduzindo e comendo a cunhadaContos eroticos o motorista e a ninfetacache:0hlPRRucl4wJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_26455_o-time-inteiro-me-comeu-parte-2.html conto minha esposa rabuda deu pra familia todo na salaconrtos estrupo minisaia casadacontos com fotos esposas com a buceta cheia de porra de negrosMinha sogra me pegou contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos comendo a irma rabudamãe puta, contomeu primo mobral contocontos heroticos intiada e padrastoconto do tarado que se fazia de bonzinho para comer as meninasconto eroticos casada cuzudanovos relatos eróticos de incesto com fotos mãe e filha primeira vezEncoxador contosconto erotico com ajuda da minha virei cadela do meu cachorrocontos eroticos mae pegou no flagracontos minha esposa me ensinou a ser cornosexo pornozao medo minha cunhada teve medo do meu pitaomulheres adoram ficar peladas cheio de manteiga no cuvoyeur de esposa conto eroticocontos picante de esposa bem vagabundaconto de uma testemunha de jeová casadaprovoquei o velho e fui fudidacontos eroticos com eu minha esposa e nossa melhor amigaConto erotico de tia e sobrinhofoda develha bundeiracontoseroticos bebado estuprei mamaecontos sarrei a cuhada. novinha. no pagodequerendo dar a bucetinha pro meu padrasto contoscontos eróticos de mulheres casadas que curtem zoofilliacontos eroticos marido ajudando a esposa a dar o cu pro vizinhodona Florinda abrindo pernas mostrando calcinha pornvideo porno enxergando uma buceta na outra ate gozar e mela todinhaMeu amigo me convenceu eu deixa ele chupa no meu paucontos casada no elevadormeu amigo comeu minha maeconto comeram minha mulher bebadacontos humilhada no pau do contos meu irmão e eu betinha vendo Respira fundo e relaxa que vai entrar no seu cusexo gay quando eu era pequeno okinawa ufa contosmeu pai e meu tio come a minha esposa contos eróticoscontos de cúminha virou putinha