Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O DONO DOS CACHORROS

Podem de chamar de Fernando, tenho 19 anos, 1,70, 90kg. Tenho pernas e bunda bem definida, mas o tempo sem praticar esportes me deu uma pequena barriga.

Há mais ou menos 3 anos, uma noite, quando saíma mais cedo da faculdade, resolvi ir pra casa a pé. A distância não era muito longe, mas moro nas proximidades do centro de São Paulo e nunca confiei na região a noite.

Coloquei o fone de ouvido e peguei o caminho pra casa. Pra não pessar por lugares que nao gostava, usei o caminho mais longo até minha casa.

Estava com o volume mo máximo e como gosto de música eletrônica, não ouvia mais nada, sá o som do meu mp3.

Quando cheguei na esquina de uma grande avenida, vi um cachorro correr em minha direção. Por ser um golden retriver, não me assustei e até tirei o fone pra brincar com o cachorro.

Em seguida o dono me pediu mil desculpas, mas é que ela (Lana), gostava muito de brincar. Já abaixado à altura de lana, olhei pra cima e disse ao dono da cachorra que não tinha problema nenhum, que adorava cachorros.

Fiquei um pouco nervoso enquanto olhava para ela. Um jovem jovem homem moreno de 34 anos, olhos e cabelos castanhos, muito bem esculpido pela academia, de voz rouca e pele morena.

Quando levantei, lana novamente pulou em cima de mim.

- Acho que ela gostou de você. - disse ele.

- Ah, também gostei muito dela. Né Lana – falei.

- Quando o seu nome?

- Pode me chamar de Fernando, e o seu?

- Gabriel.

- Prazer Gabriel. Você tem uma cachorra muito bonita.



Nos cumprimentamos, dei tchau à Lana e me virei pra ir embora. A cachorra começou a fazer uma escândalo no meio da rua. Me virei de novo para os dois e ele estava rindo sem jeito. Na hora pensei que ele nem precisava rir, já era bonito o bastante sério, rindo então, meu DEUS!

- Oi Lana, não quer que eu vá embora, é isso?



Ela pulou no meu colo de novo e fiz um carinho em sua cabeça.

- Ela gostou mesmo de você.

- Pois é. Pena que não tenho espaço em casa, senão eu bem que teria um cachorro.

- Nossa, ela acabou de dar cria, ainda tenho dois filhotes pra dar.

- E você deixou eles sozinhos em casa?

- Aproveitei que os filhotes estavam dormindo pra sair com ela. Mas sá dei uma volta no quarteirão. Moro aqui neste prédio.

- Ah, tá! Bom, vou indo que ainda tenho uma pequeno caminho até em casa.

- Não quer subir pra ver os filhotes?

- Acho melhor não, tenho que ir pra casa.

-E quem disse que a Lana vai deixar? (risos)

- É né?... Bom, não custa dar uma subida pra ver os filhotes.



No elevador começamos a conversar sobre a vida. Quando chegamos no apartamento do cara, Lana correu em direção às suas crias, que estava na área de serviço.

- Você não aceitou meu convite sá pra ver os filhotes, não é?

- Como?

- O Convite que te fiz. Você veio aqui sá pra ver os filhotes?

- Bom, pra começo de conversa você não me convidou pra ver os filhotes, não foi?



Nem precisou de mais nada, na mesma hora, começamos a nos beijar. Sua língua grossa e quente explorava toda a minha boca enquanto a minha tentava conhecer cada pedaço da sua. Ele estava louco. Beijava meu pescoço, mordia meu queixo, lambia minha orelha.

Comecei a tirar sua camiseta. Mais que depressa ela me ajudou e já tirou o tênis, a bermuda a cueca e a meia. Fiz o mesmo e continuamos a nos beijar ali mesmo no meio da sala.

Não demorou muito estamos de pau duro. Sem pensar duas vezes, ele sentou no sofá e já abriu as pernas. Me ajoelhei na sua frente e de uma vez enfiei todo o seu pau na minha boca. Era um pau lisinho, sem veias, com a cabeça bem rosada. (era do tipo standard, não era grande nem pequeno, era do tamanho certo pra preencher toda a minha boca).

Quanto mais chupava seu pau, mais ele pedia pra eu chupar. Segurava minha cabeça e forçava pra entrar tudo. Seu pau entrava pela minha guela e me fazia ficar sem ar. Não demorou muito, lagrimas começaram a escorrer pelo meu rosto. Com muito dificuldade conseguia respirar entre uma chupada e outra.

Em meio a gemidos e sussurros ele me pediu o cú. Mesmo não querendo, pois não tinha me higienizado, não tive como negar. Ele me colocou apoiado no sofá e com muito cuidado começou a me fuder.

Como não sou de dar o cu com muita frequencia, a cabeça do seu pau fez com que eu sentisse uma dor tremenda. Ele se curvou sobre mim, e sussurrando ao meu ouvido, pediu pra eu relaxar. Não aguentei de tesão ouvindo aquela voz rouca narrar que estava comendo o meu cú enquanto fazia um vai e vem bem lento. Estava quase explodindo de prazer.

Aos poucos os movimentos foram acelerando e quando dei por mim, já ouvia o barulho de seu saco batendo na bunha bunda. Ele revesava a velocidade do vai e vem. As vezes bem devagar, que era pra eu sentir todo o pau dele no meu cu, as vezes bem rápido que era pra eu ouvir seu saco batendo em minha bunda. Não demorou muito e ela se jogou em cima de mim. Ele tinha gozado.

Respirou fundo e bem devagar tirou seu pau de dentro de mim. Olhei pra trás e vi a camisinha cheia de porra. Não acreditei.

Ele se levantou e me ajudou a ficar de pé. Minhas pernas estavam bambas. Ele me ofereceu um copo de água e fui para o banheiro me limpar. No banheiro começou tudo de novo. Ali mesmo apoiado na pia ele me comeu de novo. Entre uma estocada e outra e puxou o meu cabelo, me fez olhar no espelho e com a voz mais deliciosa do mundo anunciou: - Estou te comendo gostoso. Quando ouvi isso gozei sem por a mão. Mais algumas estocadas e ele encheu novamente a camisinha de porra. Nos beijamos, me limpei, coloquei a roupa e fui embora sem olhar pra trás.

Nunca mais vi o dono de Lana.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos eróticos molekas virgensContos sexo esposas taradas por negoes da picas grandesDona Florinda chupando a rola de Seu Madrugacontos sado lesbico de incestopapai bebado conto gaycontos de coroa com novinhoChaves enfia o dedo no cu da chikinhaconto erotico evolvendo mae filho e a vizinha rabudacontos eroticos cdzinha quando era menino me vesti de menina e marquei pra dar eu queria ser meninaconto erotico sentei no colo com o carro lotadocontoeroticomeugenrocontos eroticos de homens cdzinhasbuceta chupar elaeleminha esposa tem 1.60cm d bunda enorme contoscontos gay meu pai e meu irmão me comeram a forçaporno mulheris con a perna meia canbotacontos fui chupa a bucetinha da minha amiguinha na infancia ele mijou em minha bocadespedida de solteira com noiva pegando no pau dos stripscomi minha tia na roça com meu tio e primos na charrete contos eroticoscontos de cú de tia gordacontos me faço de recatadatia gostoza ajudano sobrinho donzelo xivdeoconto erotico férias na jamaica Vhttp://comtos eroticos de estuprobundudo conto gayperdi meu cabaço para o patrao sobre chantageConto eroticos corno liberal safadozoofili a nimada travestiachou que fosse o irmão dopou a cunhada no banho xvidio pornocontos eroticos de estuprosno carnaval de ruameu sobrinho menor conto eróticocontos eróticos sr ônibus contos eroticos me exibi nua pra elaesposa puta do meu tio corno contocontos eroticos gays incestos meu irmao me apunhetava enquanto eu dormiamande da Jamaika dando a b***** da mulher do pistoladaconto erotico bolinada na infanciacontos de cú em familiaconto erotico lesbicas negona dominadora castiga novinha desobedientemeus contos erotico gostosura com papaisentando meu sobrinho no colo contos eróticosconto d gang bang transex maeaconto erotico nudismo com a sogracontos eróticos f****** a neguinha na Fazendanovinha nascendo peitinho e muito safadinha contoscontos eróticos chuva molhadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erotico filinhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteminha chapeleta enlouqueceu minha mãe cavala. contos.anamorada esfrgou abuceta quen narola do namorado e no amigo osdois goara nabucetadelacontos/ morena com rabo fogosodesejos de machos que adora safadeza com outros macho experiências vividascontos eroticos brechei minha madrastacontos gozarconto erotico gay chupando tio bebadocontos meu amigo dopou minha mulhervelha viuva conto eroticoContos erotico meu grande sobrinhocontoerotico de escoterascontos eroticos calcinhao lutinha tapinhaConto erotico entregadorConto herotico eu e meu irm 0Š0oCasa dos Contos a esposa gostosinha do meu amigoconto porno de lesbicas ela so me dava o cu com o straponconto porno come o cu da minha cunhada e a amante e sua amigaa calcinha da menina - contos eroticosconto crente corno e curradovideos para deixar o namoradoexitadocontos d zoof pegei minha sobrinha c um cachorroacampamento com as aluninhas – parte 2 conto eroticoContos eroticos eu minha mulher e minha irma que surubacomendo minha sogra ruiva de 52 anos coroa mais gostosa do brasilconto tanguinha da sogra rendacontos estuprosvideo fui brinca de lutonha acabei gosandorelatos eroticos esposas estupradasPeguei minha tia veridicomãe puta, contoContos erotico brincando com meninasconto erotico meu marido ficou bebado e aproveitei a festacontos erotico dormindo