Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O DONO DOS CACHORROS

Podem de chamar de Fernando, tenho 19 anos, 1,70, 90kg. Tenho pernas e bunda bem definida, mas o tempo sem praticar esportes me deu uma pequena barriga.

Há mais ou menos 3 anos, uma noite, quando saíma mais cedo da faculdade, resolvi ir pra casa a pé. A distância não era muito longe, mas moro nas proximidades do centro de São Paulo e nunca confiei na região a noite.

Coloquei o fone de ouvido e peguei o caminho pra casa. Pra não pessar por lugares que nao gostava, usei o caminho mais longo até minha casa.

Estava com o volume mo máximo e como gosto de música eletrônica, não ouvia mais nada, sá o som do meu mp3.

Quando cheguei na esquina de uma grande avenida, vi um cachorro correr em minha direção. Por ser um golden retriver, não me assustei e até tirei o fone pra brincar com o cachorro.

Em seguida o dono me pediu mil desculpas, mas é que ela (Lana), gostava muito de brincar. Já abaixado à altura de lana, olhei pra cima e disse ao dono da cachorra que não tinha problema nenhum, que adorava cachorros.

Fiquei um pouco nervoso enquanto olhava para ela. Um jovem jovem homem moreno de 34 anos, olhos e cabelos castanhos, muito bem esculpido pela academia, de voz rouca e pele morena.

Quando levantei, lana novamente pulou em cima de mim.

- Acho que ela gostou de você. - disse ele.

- Ah, também gostei muito dela. Né Lana – falei.

- Quando o seu nome?

- Pode me chamar de Fernando, e o seu?

- Gabriel.

- Prazer Gabriel. Você tem uma cachorra muito bonita.



Nos cumprimentamos, dei tchau à Lana e me virei pra ir embora. A cachorra começou a fazer uma escândalo no meio da rua. Me virei de novo para os dois e ele estava rindo sem jeito. Na hora pensei que ele nem precisava rir, já era bonito o bastante sério, rindo então, meu DEUS!

- Oi Lana, não quer que eu vá embora, é isso?



Ela pulou no meu colo de novo e fiz um carinho em sua cabeça.

- Ela gostou mesmo de você.

- Pois é. Pena que não tenho espaço em casa, senão eu bem que teria um cachorro.

- Nossa, ela acabou de dar cria, ainda tenho dois filhotes pra dar.

- E você deixou eles sozinhos em casa?

- Aproveitei que os filhotes estavam dormindo pra sair com ela. Mas sá dei uma volta no quarteirão. Moro aqui neste prédio.

- Ah, tá! Bom, vou indo que ainda tenho uma pequeno caminho até em casa.

- Não quer subir pra ver os filhotes?

- Acho melhor não, tenho que ir pra casa.

-E quem disse que a Lana vai deixar? (risos)

- É né?... Bom, não custa dar uma subida pra ver os filhotes.



No elevador começamos a conversar sobre a vida. Quando chegamos no apartamento do cara, Lana correu em direção às suas crias, que estava na área de serviço.

- Você não aceitou meu convite sá pra ver os filhotes, não é?

- Como?

- O Convite que te fiz. Você veio aqui sá pra ver os filhotes?

- Bom, pra começo de conversa você não me convidou pra ver os filhotes, não foi?



Nem precisou de mais nada, na mesma hora, começamos a nos beijar. Sua língua grossa e quente explorava toda a minha boca enquanto a minha tentava conhecer cada pedaço da sua. Ele estava louco. Beijava meu pescoço, mordia meu queixo, lambia minha orelha.

Comecei a tirar sua camiseta. Mais que depressa ela me ajudou e já tirou o tênis, a bermuda a cueca e a meia. Fiz o mesmo e continuamos a nos beijar ali mesmo no meio da sala.

Não demorou muito estamos de pau duro. Sem pensar duas vezes, ele sentou no sofá e já abriu as pernas. Me ajoelhei na sua frente e de uma vez enfiei todo o seu pau na minha boca. Era um pau lisinho, sem veias, com a cabeça bem rosada. (era do tipo standard, não era grande nem pequeno, era do tamanho certo pra preencher toda a minha boca).

Quanto mais chupava seu pau, mais ele pedia pra eu chupar. Segurava minha cabeça e forçava pra entrar tudo. Seu pau entrava pela minha guela e me fazia ficar sem ar. Não demorou muito, lagrimas começaram a escorrer pelo meu rosto. Com muito dificuldade conseguia respirar entre uma chupada e outra.

Em meio a gemidos e sussurros ele me pediu o cú. Mesmo não querendo, pois não tinha me higienizado, não tive como negar. Ele me colocou apoiado no sofá e com muito cuidado começou a me fuder.

Como não sou de dar o cu com muita frequencia, a cabeça do seu pau fez com que eu sentisse uma dor tremenda. Ele se curvou sobre mim, e sussurrando ao meu ouvido, pediu pra eu relaxar. Não aguentei de tesão ouvindo aquela voz rouca narrar que estava comendo o meu cú enquanto fazia um vai e vem bem lento. Estava quase explodindo de prazer.

Aos poucos os movimentos foram acelerando e quando dei por mim, já ouvia o barulho de seu saco batendo na bunha bunda. Ele revesava a velocidade do vai e vem. As vezes bem devagar, que era pra eu sentir todo o pau dele no meu cu, as vezes bem rápido que era pra eu ouvir seu saco batendo em minha bunda. Não demorou muito e ela se jogou em cima de mim. Ele tinha gozado.

Respirou fundo e bem devagar tirou seu pau de dentro de mim. Olhei pra trás e vi a camisinha cheia de porra. Não acreditei.

Ele se levantou e me ajudou a ficar de pé. Minhas pernas estavam bambas. Ele me ofereceu um copo de água e fui para o banheiro me limpar. No banheiro começou tudo de novo. Ali mesmo apoiado na pia ele me comeu de novo. Entre uma estocada e outra e puxou o meu cabelo, me fez olhar no espelho e com a voz mais deliciosa do mundo anunciou: - Estou te comendo gostoso. Quando ouvi isso gozei sem por a mão. Mais algumas estocadas e ele encheu novamente a camisinha de porra. Nos beijamos, me limpei, coloquei a roupa e fui embora sem olhar pra trás.

Nunca mais vi o dono de Lana.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erotico férias na jamaica V vizinha coroaconto eroticocontos eroticos arrombaram minha namoradatitia terminou o noivado tava carente e me convidou pra irmos a casa de praia contos eroticose a minha sobrinha virgem grado minha casa peladacontos de mulheres que gosta esfregadaConto erotico minha irmã gravidacontos de esposa dominadoracontos adolecente traindocontos neta da minha vizinhacomparando pintos contoscontos erotocos sogras velhascontos eroticos dei para um garotinhoconto d patricinha c o borrscheirocasada e velho contoscontoerotico quase corri negrinho caralhudocontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travestixoxoxotinhas molhada de. tesaoSou casada meu marido viajou e meu vizinho me fodeuque enganaram e comeram meu cu sem pena contoso tio caçula contos eroticos porno gaydando pro genro. contos eróticosmetendo pau gg todo no cu da mulher do cornoContos eróticos dei a bucetinhaContos meu prefeito me comeu com fotosContos eróticos gay fudendo gostoso com meu sobrinho novinh e virgemfiz da minha esposa uma putabucetas carnudas grandes beicos casadas cornosputinhadaturmacontos velhas com novinhosContos eroticos cunhada safada jeovacontos/ morena com rabo fogosomasturbando no banho ponhou nangueira de agua na bucetacontos de zoofilia demoniacosnamorada chupando a b***** da namorada tá ficando Cala a boca deleenrabando a frentista gostosa contos eroticoshistorias eroticas das peitudas contos eroticos a primeira vez do novinho com dotado porno travesti e mae cornoCONTOS.EROTICOS.DE.MULHERES.QUE.TRANZAO.COM.CAVALOconto filhinha novinha ja aguentaeu de shortinho socado em casa contosmamando no genro contosnifetas brasileiras dando cuzinho virgem pro irmao chorando de dortrasandocm minha sogradescabacei a namoradinha de 13 aninhoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteninfetas lésbicas beijando o peitoral dos travestiscontos eróticos estupradacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erótico acompanhante chantageadaconto erotico gozada na renata"voce e muito corno"contos marido jogandoContos eroticos de travestis do dote avantajado.contos eroticos com minha empregada nordestinacontos eroticos menina de 07anos dando a xaninhaContos.eroticos.crentizinha.abusada.no.cuzinhover filme de putaria conhado comendo conhadaconto com empregada negra sofrendo pra dar o cuzinhorelatos arrombei a amiga da minha irmazoofikia contis eriticos homem aosixonado pela eguaIrmao pateu foto dar irman sodecalcinhaquero ver Márcia cama na buceta e gozando quero ver Márcia cama na buceta e gozando quero ver Márcia acabando a buceta e gozandoConto erotico sou morena clara evangelicacontos eróticos minha esposa e o assaltanteConto ensesto com Fillhocontos porno sou putinha pra minha mae no puteiro da familiameu patrão me pegou mastubando e chantageia conto eróticocontos eroticos com irmacomessei a alizar o pau do marido da minha tia contoconnto erotico. quando os cachorrinhos da cachorra nasceu coloqueii logo pra mamar na minnha bucetaconto erotico a noivaconto erotico a novinhacontos eroticos meu vizinho mim estrupo eu era pequena tinha oito anossentando na rola do meu pai contos. eróticosconto gemendo no pau do pone taradocontos chantageada pelo meu maninhoela pediu pra parar mas continuei fudendotirando as pregas do hetero conto veridicocontos cdzinhavideo porno gay o promo etero bota o primo gay na surubanovinha inocente chorando com dote da travestimulher entrando na chapeleta do pôneicontos eroticos brincando com meu cachorrinho taradocontos eroticos ela nao aceita ser cornoesposa puta do meu tio corno contocontos eroticos uma bebezinhaConto erotico, namorada cagou no pauperdi ocabaco para um velho comtocontos eroticos de assalto e incestohistorias de sexo de mulheres casadas que gosta de ver o marido emrrabadocontos eroticos-perdi o cabaco e ate choreicontos eroticos envangelica marido e pai roubaram o chefecontos erotico com irmaoContos gay saindo de carro a noite vestido de mulher