Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TUDO COMEÇA COM A PRIMA

Eu era adolescente, verão da década de 1980, férias escolares, cidade agitada por causa das festas de final de ano. Morava com meus avás, no 5ª andar de um prédio antigo de 5 andares, com elevador, no práximo ao centro da capital. Claro que tinha vizinhas da mesma faixa etária que a minha e suava por todos os poros quando pegava o elevador com uma delas. Mas estas são outras estárias. O que vou relatar hoje é a minha iniciação no campo da sacanagem.



Minha família, naquela época, era muito grande, tradicional, com muitos filhos cada geração e pra minha sorte, muitas, mas muitas primas. Aaahhhh! E naquele verão, uma semana antes do natal, minha prima da cidade de MostardasRS, veio visitar sua tia (minha avá). Era a semana que eu voltaria para casa, mas quando percebi entrando pela porta aquela morena, cabelos longos, aproximadamente 19 aninhos, olhos castanhos escuros, boca carnuda característica da família, coxas grossas e bem torneadas que se deixavam avistar por causa de um vestidinho florido maravilhoso que definia bem sua cintura, resolvi adiar por um dia minha ida para casa dos meus pais.



Ela veio em minha direção e me deu uma forte e gostoso abraço e um beijo mais gostoso ainda no rosto. – Quanto tempo primo?! Disse ela. – Uhuuumm!! Resmunguei, ficando parado no mesmo lugar por infinitos 30 segundos, onde minha mente e meus hormônios viajaram por todas as fantasias que pude imaginar. Dei meia volta e fui direto para o banheiro, lugar sagrado, me aliviar. Mas como estava apressado, fui descuidado e não tranquei bem a porta. Pra quê! Passados alguns minutos, ouvi minha prima falando pra minha avá. – Tia, sá vou ao banheiro e já volto pra te ajudar a colocar a mesa!. Pensei: “Ainda bem que a porta está trancada” Ledo engano. Minha prima abriu a porta de repente e me pegou, duro, me acabando. – Ui! Tá ocupado! Disse ela em voz alta, mas antes de fechar a porta, pude perceber um certo sorrisinho nos lábios daquela garota. Um ar de sacana que fez meu corpo suar em um misto de prazer e pânico, pois ela poderia contar para minha avá. E agora? Fazer o que? Fui pro chuveiro.



Sai e o almoço estava na mesa. Disse à minha avá que iria somente no dia seguinte para casa. Olhei meio sem jeito pra minha prima, que disse: - Que bom primo, assim podemos conversar um pouquinho. Apenas balancei a cabeça. Sentei e segundos depois, senti a ponta dos dedos de um pé passando por minhas canelas. Olhei pra ela e confirmei. Sim, aquela safada estava me atiçando. Então havia gostado do que tinha visto. Passamos a tarde conversando, mas aquela sensação dos dedos dela passando em mim não saía de minha mente. à noite, disse à minha avá que a prima poderia ficar com meu quarto, já que eu iria embora na manhã seguinte, e que deixaria tudo pronto na sala, fazendo uma cama no chão. Todos concordaram e fomos dormir. Dormir! Quem disse que eu conseguia? Liguei a TV, zapeei pelos canais e percebi que já eram 02h da manhã, quando parei para olhar “Os desejos e Emanuelle”. Pronto! Se já não conseguia dormir pensando sacanagens com minha prima, agora então.



Ouvi barulho, desliguei a TV. Era minha prima saindo do meu quarto. Fingi que estava dormindo. Ela foi ao banheiro e quando retorno, fingiu que fechava a porta do quarto e veio em minha direção. Fiquei tenso. Deixei os olhos entreabertos e consegui enxergá-la na minha frente, me olhando, sá de camisola quase transparente. Meu pau endureceu na hora. Ela se agaichou, ficando de joelho e se inclinando disse sussurando em meu ouvido: “Posso terminar aquilo que vi mais cedo?” Nooosssaaa! Não tive reação, então ela entendeu. Começou a colocar as mãos por baixo do cobertor e encontrou meu pau explodindo dentro da cueca. Deu um sorrisinho e tirou ele pra fora e começou a me masturbar. Eu imável, atônito, não acreditando no que estava acontecendo. Que mãos macias. Que jeito diferente de fazer. Era muito bom.



Ela começou a gemer baixinho. Foi aí que descobri que adoro ouvir gemidos de mulher. Pegou uma de minhas mãos e levou até seu corpo. Comecei a passar minha mão, ainda por cima da camisola, por sua cintura, subindo por suas costelas, até chegar até seus seios. Macios, com os bicos durinhos. Ela começou a contorcer o corpo. Pegou minha mão, trêmula, e levou até sua calcinha. E começou a levá-la por onde ela queria. Senti sua calcinha molhando. Sensação muito boa. Comecei a fazer movimento circulares e foi umedecendo mais ainda e ela requebrando e apertado meu pau, que já estava latejando. Então, antes que eu explodisse, ela me olhou, deu aquele sorrisinho sacana novamente, e montou em cima de mim, esfregando sua xaninha molhada em meu pau, e seus seios em meu peito, as vezes vindo até meu rosto e colocando em minha boca. Delícia. Não imaginava que fosse tão bom. Nem minha melhor masturbação tinha me dado aquelas sensações.



O mais impressionante, é que não dizíamos nada. Não pode medo de sermos flagrados, mas por estarmos nos entendendo. Então ela me olhou nos olhos, me deu um longo e saboroso beijo, enquanto apertava meu pau entre suas pernas. E depois começou a deslizar seu corpo por cima do meu, beijando meu pescoço, meu peito e eu ali, trêmulo e ela lá se rindo. Quando ela passava pela barriga, parou por um instante e, sem tirar sua boca de mim, me deu um olhadinha e depois uma piscadinha. Quase pirei. E ela rapidamente, sem nem deixar eu pensar, desceu com a boca até minha cintura e abocanhou meu pau inteirinho. Aaaahhhhhh que sensação incrível. Que boca, que tesão. Estava latejando já. Guri de primeira viagem é foda! E quanto mais eu olhava meu pau sumindo e aparecendo novamente na boca dela, mais duro ficava. Então uma ora ela parou, com a pontinha da cabecinha na boca e começou a sugar, sugar, eu estava quase. Ela começou a passar a língua por volta dele, concentrando na pelesinha embaixo da glande. E não aguentei. Explodiiii!!! Aaaaahhhhhh! Coloquei as duas mãos na boca para tentar segurar o som. Enchi a boca de minha priminha de meu líquido e enquanto pensava o que ela iria fazer, ela começou a engolir. Aahhh aquilo era demais. Minha primeira vez com uma mulher, e ela fazendo aquilo. Sugou tudo, lambou a pontinha até a última gota.



Depois, fez o caminho inverso e foi subindo por meu corpo. Parou com seu rosto em frente ao meu, me olhou, não disse nada. Me beijou. Não senti nojo. Azar, ela tinha me proporcionado muito mais prazer em alguns minutos do que minhas mãos em anos. Depois ela levantou, e foi pro quarto. Em silencio, e eu ali, mole, sorridente, coloquei minha cueca e adormeci pensando: “Tudo começa com uma prima”.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erotico gay o seguranca hetero roludoconto eroticos.chupcontos notei que minha namoradaContos cm o vizinhoContos eroticos.filhos com penis grande grosso.e mamae carentesconto de arrombando o cu do empregadovidiooporno professora trepando com alunoscontos eróticos bixesuaisContos eróticos vizinho novinhos gay ManausContos eroticos africanocada dos contos gays- sexta do chaveirorelato de mulher casada engolindo porraeu e minha tia no banheiroComtos casadas fodidas em matagalcontos eroticos bunda da casadinhaTitias esperientes c. sobrinhos videos.tanguinha suja contos eroticoscontos eroticos com gordinha.mulher do amigo comicontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de sendo siriricada pelo meu primocontos eroticos com vovôsContos eroticos Coroas Gordas peladasconto erotico gay chupando tio bebadocontos exibindo o paucontos tia dando o cu pro sobrinhovídeo de sexo de duas mulher gulosa beijo gosmentoconto transformado travesticontos eroticos gays no cinemacontos eroticos suruba biZoofiliacontos eroticos fui arrombada pelo motorista de onibus e dois passageirosVou come ela conto pornoContos pornô de gostosa exibiadaconto novinha amigos do papaisexo gay okinawa ufaele era um lindo anjoa coroa contos eroticosConto erotico loira bundao malhandoloira resebi anal depois de treinamentoconto eróticos comi rabo mãe doamigoacoxanoo coroa ele me fudeu em cima da sua lancha conto eróticoconto sou. chupeteirachaves comendo o cu de chicinha no banheiromeu primo rasgou meu cu gayamor quero chupar sua buceta toda gozadinha e cheia de porra de outrocontos erotico de trans com esposaFodendo com mamae bunduda contoscontos eroticos minha esposa molhadinha so de imaginar um negro grande comendo elaconto erotico o cu da pricilacontos de tia coroafilha esposa de papai pintudo contosfilho fudendo sua mãe na freeti de seu paiesposa bebada se abrindo apos a farra no bar contopresenteano minha esposa com outra rola contos eroticosContos recebido de sainha sem calcinha clientepegando hetero casado conto gaylinda tica se mastubando no banco do carrocontos eroticos arrombando a gordacontos gay porno banheiro publico contos eroticosconto porno loira com cavaloconto hot meu pai me bulinavaa esposa mija no pau do cunhadoconto erotico mendigofilme pornô minha prima gravata preta para mimpai emfia pica filha morrocomi minha tia conto realistatisiane so de causinconto menino gay safado do papaicontos erotico patricinha debaixo do edredomconto de quando era novinho chorei com uma pica grande no meu cuzinhocontos eróticos mamei nos peitinhos se formando incestocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erótico evangélicocontos duas casadas putas trepando com cão e um homem tambemcontos eróticos novinhas chingadas de putas com coroasContos eróticos liberando a esposaconto porno meu filho me comeucontos gay padrasto cuidou de mimfiz boquete dei o cu pro meu irmaoConto gay viagem onibus longaconto deixei minha esposa foder com varios homem na minha frenteContos eroticos me amarraramesposa e sogra metendo na praia contoscontos-gays fui arrombado por um bombeiro no motelContos eroticos eu adoro beber porra desde pequenaconto amiga cabacinho da minha irmacontos eroticos meu.padrasto me.comeurelatos eróticos sexo com aluno especialcabine erotica esposa de mine saiaconto e relato real cunhada que gosta de fazer sexo anal com cunhadacontos eroticos arombadasocandu punheta