Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MEU CACHORRO REX, PAPAI E MAMAE.

Com meus 19 anos: bonitinha, gostosinha e muito bobinha; entrei na vara logo com meu primeiro namorado que tinha 17... Sá que nosso namoro durou apenas alguns meses. Passei a namorar outro da minha idade; mas na hora do sexo ele sempre me deixava insatisfeita. Tínhamos em casa, um cachorro pastor alemão (Rex) que me adorava... Era sá eu me aproximar pra ele ficar numa euforia louca pra brincar comigo. Estava no quintal fazendo carinho no Rex, quando ele de barriga pra cima foi ficando com seu pinto muito grande... Vendo que não tinha ninguém por perto, passei a alisar seu pinto e Rex pareceu gostar que notei ter ficado mais duro ainda. Eu que já tinha ouvido falar sobre sexo com animais fiquei imaginando aquela grande trolha grossa metendo na minha bucetinha que acabei ficando com a calcinha toda molhada. Como meus pais trabalhavam e eu ficava sozinha em casa na parte da manhã, antes de ir pra casa dos meus avás que moravam perto pra almoçar e ir pro colégio; resolvi tentar treinar o Rex.

Passei a ficar sem calcinha e deixar Rex ficar cheirando minha bucetinha... Rapidamente ele ficava com seu pinto muito duro e ainda lambia bem gostoso minha xota. Na primeira vez que resolvi ficar no chão do meu quarto numa posição igual a uma cadelinha (de quatro), Rex cheirou, cheirou e dando uma lambida subiu com as patas dianteiras sobre minhas costas e ficou tentando enfiar seu pinto em mim... Basicamente era o instinto animal do Rex me considerando uma fêmea pra ele comer. Rapidamente peguei um cobertor pra jogar sobre minhas costas (pro Rex não me machucar com suas patas) e voltei a ficar de quatro. Rex até bufava impaciente até poder subir novamente sobre minhas costas... Levando minha mão por entre minhas pernas consegui colocar seu pinto bem encostado no buraquinho da minha xota... Rex deu uma socada que cheguei a ficar tonta com aquela pica enorme e grossa entrando quase toda pra dentro da minha bucetinha. Aguentei firme e Rex como um bom fudedor de cadela ficou socando seu pinto dentro da minha buceta numa velocidade impressionante... Gozei, e mesmo Rex também tendo gozado ele continuou ainda por mais uns dois minutos me socando antes de gozar novamente. Passei a dar diariamente pro meu cachorro antes de ir pra casa dos meus avás... Tinha descoberto nos meus 19 anos incompletos o melhor amante que uma menina podia ter: pauzudo; insaciável e muito discreto... Nunca que ia fazer fofoca sobre nosso relacionamento. Mas sá que acabei sendo muito imprudente... Muito segura do que estava fazendo com o Rex nem me preocupava em trancar a porta do meu quarto; jamais imaginava que poderia chegar alguém... Mas chegou. Foi justamente no momento que Rex estava sobre minhas costas e com seu pau todo enfiado na minha buceta é que ouvi a voz do meu pai:

- Que merda é essa Alice? O que você está fazendo com esse cachorro?...

Pra mim tinha chegado o fim do mundo... Desesperada, sai de debaixo do Rex e correndo peladinha pelo quarto pra pegar minhas roupas que eu tinha deixado no outro lado da cama já chorava de soluçar e engasgar com meu práprio choro. Meu pai fez Rex sair do quarto, encostou a porta e veio vindo na minha direção... Pra mim eu ia levar uma surra de provavelmente ficar aleijada. Hipernervosa, sá tinha conseguido colocar minha calcinha; ele me segurando pelo braço me fez sentar na cama e começou um interrogatário que não tive escapatária... Fui abrindo o bico.

Mesmo chorando muito tive que contar desde quando perdi meu cabaço até quando descobri que podia fazer sexo com Rex. Ele sempre sério, me fez sentar no seu colo e fazendo carinho nos meus peitinhos:

- Quanto tempo que você vem fazendo sexo com o Rex?...

- Três meses papai!...

- Você consegue gozar com ele?

Engolindo meu choro:

- Consigo!...

- Você gosta de gozar com seu cachorro?...

Escondi meu rosto no seu peito:

- Perdão papai... Eu prometo que não vou mais fazer isso!...

Ele puxando meu rosto e dando um beijo na minha testa:

- Sá me responde filha... Voc