Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A EMPREGADINHA RELIGIOSA VIROU MINHA PUTINHA

Meu nome é Maurício e o que vou relatar pode até parecer fantasia mais é a pura verdade.rnSou casado com uma mulher linda que se chama Simone. Somos casados já por 19 anos e nossa vida sexual não tem sido tão ativa ultimamente.rnNás trabalhamos muito, eu Gerente de num escritário de contabilidade e Simone Supervisora de uma loja de roupas.rnA um ano, nossa antiga empregada, uma senhora de uns cinquenta anos que saiu e nos indicou uma sobrinha que segundo ela, era muito religiosa.rnMinha esposa gostou da moça, pois usava cabelos preso e uns vestidos horríveis, ia sempre a Igreja e tinha um namorado de meia idade. Ela já havia sido casada antes mas se separou.rnMas algo aconteceu que me deixou maluco por esta empregada religiosa. Certo dia esqueci um relatário em casa e voltei por volta das dez horas da manhã para buscá-lo. Deixei o carro estacionado na rua para não ter que entrar e sair da garagem. Quando entrei em casa, não vi a moça. Achei que ela estivesse fazendo alguma coisa na cozinha. Fui até a cozinha para anunciar a minha presensa para não assustá-la. Para minha surpresa, ao passar pelo quarto dela, percebi alguns gemidos vindo de lá. A porta do quarto dela estava entreaberta e me aproximei com cuidado para ver. A danadinha estava assistindo um filme pornô e se masturbando ao mesmo tempo. Fiquei louco de tezão com aquela cena. Afinal ela era sempre bem comportada, agora estava se contorcendo na cama, com o vestido todo levantado e percebi um barulhinho de um vibrador. Ela estava com um vibrador dentro da buceta tirando e enfiando, tirando e enfiando e gemendo muito. Nem preciso falar que aquela cena mexeu comigo, fiquei com vontade de entrar e dar a ela uma pica de verdade. Mas ao mesmo tempo não tinha coragem. Sandra a empregada estava parecendo uma putinha se contorcendo de tezão com aquele vibrador enterrado na bucetinha dela. Sem fazer nenhum barulho, coloquei o pau pra fora e comecei a bater uma punheta ali mesmo olhando aquela cena alucinante. Quanto mais ela gemia, mais meu tezão aumentava. Foi ai que ela começou a se contorcer toda na cama e intensificar as metidas do vibrador, percebi que ela iria gozar ali na minha frente. Enquanto e ela gemia gozava, eu punhetava pensando naquela xoxota deliciosa e gozei na minha mão que ficou cheia de porra.rnSai de fininho antes que ela percebesse, apanhei meu relatário e fui trabalhar. No dia seguinte, no sábado, eu e minha esposa acordamos cedo, tomamos café e saimos para caminhar. Quando voltamos, por volta das 19 da manhã, Carla, nossa empregada estava trancada novamente no quarto. Minha esposa dizia que admirava a fé dela pois sempre se trancava para rezar. Eu bem sabia como ela rezava. Pois bem já que ela tinha este costume de se trancar no quarto por volta das 10:00 da manhã, decidi na segunda feira voltar para casa neste horário. Entrei com o carro na garagem e fiz questão de fazer barulho para que ela me ouvisse chegando. Quando entrei, ela estava limpando a sala e eu disse que não ia atrapalhar pois sá ia apanhar um documento e terminar um relatário. Sentei na poltrona enquanto Carla passava pano nos máveis. Ela estava visivelmente nervosa pois nunca antes havia ficado sozinha comigo em casa. Enquanto ela se abaixava para limpar eu não tirava os olhos daquela bundinha linda. Notei que ela estava sem soutien pois dava para ver os peitinhos dela balançando com os biquinhos durinhos. Ela meio sem geito perguntou se eu queria comer alguma coisa. Eu pensei em responder: Quero comer sua bucetinha e seu cuzinho e chupar seus peitinhos. Mas me limitei a dizer que um suco cairia bem. Enquanto ela preparava o suco, percebi que ela passou a mão nos seios e mexeu embaixo do vestido. Percebi que ela estava com tezão assim como eu. De vez enquando eu olhava em direção da cozinha e via que ela estava me olhando, ela abaixava a cabeça e fingia olhar para outro lugar. Levantei e fui até a cozinha com a desculpa de ajudá-la a fazer o suco. Passei por de trás dela e sem querem querendo rocei na bundinha dela. Pedi desculpas e ela disse que não havia problemas. Passei por trás dela mais uma vez e demorei um pouco mais dessa vez. Ela correspondeu dando uma reboladinha bem discreta. Parei naquela posição atrás dela e perguntei se poderia ficar assim, Carla deu um suspiro e disse que sim pois estava gostando. Segureia pela cintura e comecei a roçar mais forte. Ela já estava entregue as minhas carícias. Passei as mãos nos peitinhos dela, alisei a barriguinha e cesci na xoxotinha. Carla suspirava. Derrepente ela disse: Ai patrão, sempre quis que me pegasse assim! Eu fiquei louco de tezão ao ouvir aquilo. Vireia para mim e comecei a beijá-la no pescoço, na boca e nos peitinhos. Coloqueia de quatro e percebi que ela estava sem calsinha. Ao ver aqule rabinho lindo, comecei a passar a lingua no cuzinho dela que gemia de tezão, lambia o cú e a xotinha ao mesmo tempo. Chupei a empregadinha por uns dez minutos e ela gemendo cada vez mais alto. Derrepente ela e me pediu para mamar meu pau. Sem demora abaixei a calsa e deixei ela fazer o resto. Carla tirou minha cueca, segurou meu membro e começou a fazer uma chupetinha para puta nenhuma por defeito. Ela punhetava e chupava ao mesmo tempo. Ela chupou tão gostoso que quase gozei na boca dela. Pedi para que ela paresse pois queria fuder aquela bucetinha no quarto dela. Ela me pegou pela mão e me conduziu ao seu humilde quarto. Ao entrar, deitou-se na cama e disse: Vem patrão me fode gostoso, vai me fode gostoso. Ver aquela moça falando como uma putinha me encheu de mais tezão. Ela abriu as pernas e se masturbava querendo minha boca. Cai de lingua naquela bucetinha enxarcada de tezão. Enquanto eu chupava ela se contorcia e gemia. Eu sussurrei bem baixinho: Hum, você está gemendo igual daquela vez que te vi se masturbando vendo filme pornô! Quando ela ouviu isso, gemeu mais ainda e começou a gozar e gritar: Safado estava me vigiando, chupa,chupa, ai vou gozar, vou gozar hum, hum...... que dee líii cia!!!!! A safadinha gozou na minha boca. Depois de gozar gostoso, ela ficou de quatro e chupou meu pau com tanta vontade quase gozei. Carla deitou com as pernas abertas e disse: Agora mete este pau na minha bucetinha, mete. Aquele convite me deixou louco para fuder sua xoxotinha. Meu pau estava até latejando de tezão. Enfiei todinho naquela buceta gostosa. Carla gemia e rebolava tanto que parecia uma cadelinha no cio. Derrepente ela me deitou na cama e disse que queria sentar no meu pau. Em cima de mim ela ageitou meu pau com carinho e sentou gosotoso. Senti meu pau entrando naquela grutinha molhadinha e Carla mexia e gemia, mexia e gemia. Mais uma vez ela começou a gemaer mais alto e dizer que ia gozar. Não aguentei e gozei muito junto com ela enxarcando aquela buceta de porra. Ficamos deitados bem abraçadinhos por uns minutos e ela me fez um pedido aos meus ouvidos: Patrãozinho, agora quero que meta no meu cuzinho. Sá de ouvir aquele pedido, meu pau já começou a latejar de novo. Carla começou a lamber meu pau de cima a baixo, chupou minha vara com tanto gosto que ele endureceu tanto que parecia um mastro de pé. Ela desceu da cama e ficou de quatro abrindo o rabinho deixando o buraquinho bem a mostra. Mais que depressa levantei com pau duro e passei a cabecinha no buraquinho dela. Ela dava umas reboladinhas e dizia, mete, mete gostoso esse pauzão no meu rabo. Sem pensar duas vezes enterrei tudo naquele cuzinho. Carla gemia e continuava rebolando. Fiquei bombando no rabinho dela por um bom tempo até que não aguentei mais mais e gozei no cuzinho dela. Carla voltou a deitar na cama e disse: Meu sonho foi realizado. Você patrãozinho é mais gostoso do que eu imaginava. Sempre me masturbava pensando no senhor. rnEu contei para Carla do dia em que a vi se masturbando e que bati uma punheta enquanto a olhava. Ela me disse que fui muito bobo pois ela estava justamente pensando em mim. Trocamos mais alguns beijos e me vesti pois tinha que voltar para o escritário antes que dessem por minha falta. A noite, eu ainda estava com tezão sá de pensar na transa com a empregadinha. Simone, minha esposa saiu do banho e me viu deitado na cama, eu estava com o pau tão duro que ela chegou a dizer: Bem que isso!! Que tezão é esse? Falei que estava pensando nela enquanto se banhava, mas estava mesmo pensando no corpinha da Carla. Minha esposa chegou na cama e disse: Então deixa eu te ajudar a satisfazer este tezão. Simone começou a chupar meu pau deliciosamente. Peguei minha esposa de geito, abri as pernas dela e chupei com vontade aquela buceta ainda pensando na bucetinha da empregada. Simone gemia e dia: Que delícia, você nunca me chupou tão gostoso, chupa mais... Simone se pôs de quatro e pediu para que eu enfiasse na buceta dela. Meti com vontade e Simone dizia: Hum meu bem que delícia. Mete mais, estou gostando, mete. Para minha surpresa, Simone começou a gozar loucamente com a minha vara enterrada na xoxotinha dela. Lembrei do cuzinho da empregada e pedi a Simone para abrir a bundinha. Minha esposa ficou surpresa e disse: Quer fuder meu cuzinho amor? Mete então, mas bem devagar. Meti no cuzinho da minha esposa e sá pensava no cuzinho da Carla. Eu metia e tirava com tanta força que minha esposa gemia e pedia: Ai vai mais devagar, você está me rasgando toda. Depois de tanto meter e tirar acabei gozando deliciosamente no cuzinho da Simone. Ela se deitou sobre mim e disse: Maurício, você não me fode assim a muito tempo. Quero ser sua toda noite assim. rnrnNo dia seguinte, voltei para casa novamente por volta das 10:00 da manhã e Carla estava já deitada prontinha para mim. Minhas transas com Carla sá me deixavam mais excitados para fuder minha querida esposinha todas as noites. Minha esposa estava tão satisfeita com nossas transas que um dia decido lhe contar o porquê de eu estar com tanto tezão. Mas se vocês quiserem saber como ela reagiu a esta verdade, leiam o meu práximo conto. Ass. Maurício [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Coroas contos eroticos tias cumadres pornos Sou casada meu marido viajou e meu vizinho me fodeuporno filadaputa faz devagar o teu pau é muito grande andava só de cueca no carro. conto gay teenminha mulher deixou a calcinha suja de porra no banheiro contos eroticoscontos eróticos novinha brincando com a rola grossa e tomando porranegrao meteu na minha tia dormindo contocomi minha prima contos eroticoscontos eróticos ganhei a calcinha suja da minha tiaconto tesoura bikini bucetacontos-sobrinho come o cúzinho da tia, na frente do tio cegocontos eroticos abusada no onibus de viagemcadelabocetudacontos eroticos chantageada pelo meu filhoconto erotico gay chupando tio bebadocontos eroticos gay de negaocontos eroticos em Fortalezapornô com cavalos mangalarga fazendo com mulheres no cavaletecontos eroticos arrombando a gordaMeu cunhadinho me fodeu na festa.contoscontos eroticos de ninfetas transado com cavaloesposa puta do meu tio corno contocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eu vi minha mulher sendo arrombadacontos eróticos cdzinhacontos adoro dar o cuzinhoMenina curiosa indo no circo pela primeira vez contos eroticosporno quando o home empura o cacete no egua ela gozaconto erótico "comemos"contos eroticos sou casada minha irma deixou meu sobrinho em casacontos eroticos chamou minha mulher de puta e eu de cornocontos eroticos incentivei minha minha a trepar com dois enquanto eu dava meu cuzinhocontoscontos eroticos gay papai com vinte e cinco anos me comeu com nove anosconto de mulher que se masturbaconto irma casadacontoseroticosfuicornocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos esposa andando a cavalo com o macho da garupacontos erotico coroacasado comendo onovinhobicete mulhechupa com raiva vidio.comcontos eroticos minha cumhada me espiandoconto erotico comeu minha namoradacontos eroticos uma senhora de bem parte Xcontos eroticos esposa na praiacontos baixinha casadagotas pornoticascontos trai com meu inquilinomulher de vertido con as pern.a reganhdaencoxei e dedei minha sobrinhacontos erotico vestido tubinhonegoes me rsgaram contosContos eróticos fui corno na lua de melcontos eroticos trave x hcontos eroticos pai escravo da filhapega.pau.hendai.comtos.eroticosmeu marido sempre tras tres amigos em casa conto erpticoescravizando minha funcionaria conto eroticocontos irma da sograContos visitou o culhado na cadeiaSexo anal "nunca mais fui a mesma"contos gay putos curradosconto erotico gay chupando tio bebadosobrinha sapeca tomou no cu contoa coroa me mamou e me fez gozarconto de sexo com vizinha gostosaconto praia nudismo familiafui enrabado pe lo o yravesti na baladacontos eroticos nas prostitutas com mendigosconto embriagei meu amigocontos porno gratis evangelicas submissas e chantageadascontos eroticos o pauzudo e o cornoContos eroticos calcinha da vizinhameu marido chamo o garçom do motel pra me fuderconto erotico de corno atual dopando esposacontos minha filha chorou no meu paucontos de mulheres que gosta esfregadaContodeputa