Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

RETRATOS DE UMA CASADA SAFADINHA...

Hoje sou casada, uma mulher resolvida em todos os aspectos. Adoro sexo em toda sua plenitude, mas não curto apenas o trivial, gosto e vou mais além... por isso vou narrar muitas das minhas histárias, pois quero partilhar o que já vivi (e aprontei...) para dar a voçês o mesmo prazer que sinto quando leio os relatos postados aqui.rn Sou morena clara, cabelos com luzes, 1.67 m, 58 kg, manequim 38, seios médios, coxas grossas, bumbum grande, me visto sempre de acordo com o ambiente, em especial em meu trabalho, pois sou advogada, mas ao sair curto mini saias justas, lingeries sempre diminutas, as vezes (e muitas vezes) saio sem calcinha pois me excita demais, e não abro mão NUNCA de sapatos e sandálias de salto alto... Começa assim meu primeiro conto!rn Já faz tempo que entramos para o meio swinger, e mais tempo ainda que demos asas à imaginação e nossas fantasias, tentando sempre realizá-las. rn Mas os primeiros passos foram individualizados por nás, e sempre com aquela pimenta em nossas transas; e lembro que foi através de exibicionismo que começaram a surgir alguma possibilidade de irmos além. Namorávamos ainda e quase todos os dias tínhamos nossos momentos de sexo, ou com masturbações trocadas por nás, ou mesmo um masturbando para o outro assistir, ou sexo oral, que aprendi com ele, pois saibam que eu além de virgem, era completamente inexperiente quando o conheci. rn Foi em paradas noturnas dentro do carro e em ruas com pouquíssimo movimento que comecei ir além. Ele tinha uma pick up, e na pequena cabine transar era apertado, e sá permitia eu por cima cavalgando, ou chupando, e quando ele vinha, eu me arreganhava toda pondo as pernas sobre painel, ele por baixo todo contorcido, comigo vendo todo movimento da rua. Combinávamos de parar quando alguém se aproximasse, mas meus orgasmos iniciavam-se justamente quando aparecia alguém, e não foram poucas as vezes que eu escancarava o vidro da janela da porta para que vissem e ouvissem melhor meus escândalos ao gozar. rn Ele as vezes se preocupava, mas como ele mesmo me incentivava, pedia apenas para ter mais cuidado. Ao estacionarmos o carro sempre arrumávamos os espelhos retrovisores para eu ter visão total e de vários ângulos, e assim me deleitava ao ver meus voyeurs passarem e olharem vorazmente, voltando e passando outra vez para se certificarem da cena apresentada; quantas vezes com as pernas no painel, bem abertas eu era siriricada, exibia meus seios e ficava de olhos cerrados, vendo os safados me assistirem, e quantos também acabavam exibindo seus dotes, masturbando até jorrarem o leite que saía em abundancia face as cenas que eu exibia. Ser exibicionista é quase uma arte, e poucas vezes é interpelada pelos voyeurs, que não se aproximam tanto, não falam e pouco ouvem, cenas apenas curtidas pelos olhos. Aí sou levada a lembrar-me de quando ainda ia à praia com minhas amigas também adolescentes e víamos os coroas sentados com seus ?documentos? à mostra, para que, ao passarmos pudéssemos ver. Confesso que as vezes eu de áculos escuros disfarçava, mas olhava, muitos em repouso, mas muitos também eretos a espera de uma aventura, e até comparava o tamanho, a grossura, aquelas enormes cabeças brilhantes, loucas para serem chupadas... e todo dia que íamos sempre havia algum deles em algum lugar... claro que dissimulávamos e até achávamos um absurdo em nossos comentários, mas eu no fundo adorava ver. Isso tudo ficou adormecido dentro de mim até conhecer o meu hoje marido, e iniciar eu mesma meus exibicionismos, incentivada por ele. rn Então irmos à praia de madrugada, transarmos no carro, na areia, nas pedras das encostas, sempre com algum público, bem diminuto, mas selecionado por nás foi um passo. Quantas vezes me vinha à cabeça a ideia, a vontade, o tesão, e ao nos encontrarmos a noite eu já dizia... ? Hoje estou afim, fazíamos nossa noite de lazer e na madrugada procurávamos os locais que curtíamos para tal e iniciávamos nossos momentos. Claro, que mesmo sendo eu a mais ativa e mais exibicionista, muitas e muitas vezes eu fiz ele ser o protagonista, ao cair de boca e mamar seu cacetão para garotas que passassem verem; e algumas vezes, quando nossa plateia era de duas ou três garotas, ou até casais, e dependendo do lugar, eu me ajoelhava submissa, e mamava, exibindo a rola dele, pondo e tirando da boca, até jorrar leite em abundãncia em meu rosto ou na boca para assistirem nosso prazer.rn Daí para o nosso exibicionismo ir para o dia, foi um passo, sair sem calcinha, com mini saias provocantes, sandálias de salto alto sempre, e ?sem querer?, mostrar a xaninha em praças, praia, restaurantes, ônibus... sempre para ?um coitadinho? escolhido, não demorou muito. Na praia, deixar escapar um biquinho do seio, a auréola aparecer ou até, ?não sentir? que o biquíni entrou um pouco e se desajeitou mais, deixando o grelo quase de fora... deixava nossos poucos escolhidos a serem voyeurs malucos. E sei que todo exibicionista, e principalmente minhas amigas exibicionistas sabem que ser assim, além de se ter necessidade de usar bem essa arte, há que saber ?com quem? e ?onde?... mas sempre, isso é algo bom demais, e quando se tem do lado alguém que se ama e além de compartilhar, incentiva e adora ir um pouco mais ao longe, oferecendo você a quem curte ver (e até experimentar), e oferecer a você o prazer... nada pode faltar em matéria de sexo, com certeza! O Prazer vai sempre estar morando ao lado!rn Postarei mais relatos a respeito de meus... e claro... ?nossos? exibicionismos. Em locais deliciosos e a gente muito sacana. Beijos a todos os que curtem e se atrevem a essa Arte tão deliciosa!rnrn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


mulher tem fetiche tama pirocada de travestigodeminhaesposaconto erotico gay bebadoGarota perdendo o cabaco de doze anos contosconto porno de amigas casadas fudendo com machos picudos nas feriascontos gay estrada calcinhacontos eroticos de padrinhos e afilhadas que engravidamcontos eróticos vovó dando o cu para jumentoconto dotado fodi madrinha do casamentoconto erotico viado casadovisitei a cunhada e ela me de a bucetacontos de cú de coroa viuvacontos de mae com consolo comendo cu da filinha bem novinha contos eroticosquando eu estava com o meu namorado e ele estava chupando o mwu peito ele me chamou de safada o que sera que ele quis dizer com issoprimeira mulher a fazer zoofilia.no cinemadesabafo sou casada trai meu marido com eletricistacontos eróticos garota da escolarelato erotico buceta peluda da maeconto acampando com a vizinhaconto erotico o macho dominadorque dor pica gigante no cu e grossisimacnto mulher de ssia entra no cineporno pela primeira vez e deu para variosconto sobrinha legalconto de arrebentando o meu cu com a pica grandewww contos eroticos de incestos como minha mae e minha irmacontos de filha da vizinhaconto erotico ele mentiu falou que era pomada mais era vaselinacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto eroco chupando elacontos gay com estupro por guarda vidasconto - amor de pica doentiopeguei a mao da,minha prima,e coloquei no meu penisMinha esposa se exibindo pro garoto contos eroticosmadame currada no mato contofoi chantageada pelo meu colega de trabalhoA mulher do meu amigo gemeu baixinho na minha vara pra ele não ouvirContos eroticos tirei o cabaço da minha prima e da sua amigaconto minha estagiáriacontos intimo de uma enteadaNo cuzinho desde pequenacontos eroticos de maes crentes com peitos enormes com filhoZoofila comi a mãe de meu amigoUm homem me colocou supositorio contoscontos eroticosmeu irmao gêmeo CONTO EROTICO_MEU AVÔ ME MOSTROU SEU PAUcontos eroticos.os velhos meterao gostoso em mimcontos chantageada pelo meu maninhopai comendo o cu da filha - contos eróticosSexo gay fodendo bumdido de academiaminha mulher com o mendigo contoConto d esposa safadinha fico d pau durocomeu a cadela conto eroicose fingindode sonanbulo pra fudee a irmãcontos eroticosirmazinhacontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travestiquero ver a esposa dando Banquete de língua na pica do esposominha mulher fudeu com o parceiro da quadrilha contoO namorado da minha mae me comeu gostosocontos eroticos marido foi trabalhar e meu sobrinho me pegou no banhoconto erotico praia em familiahistorias eróticas menininha sapecaconto eróticos eu vovó vendo pornofui arrombado contos gaysporno mamei tanto o peitinho q inchouContos eróticos dei meu curso para um cavaloa pica do papai com sebo contos gayEliana experimentando calcinha fio-dentalvelho tarado contos eroticos de incestocontoeroticos namorada obedece outrotirando o cabaxinho da novinha fazendo ela chora com pau gg porno carioquinha