Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMENDO A EMPREGADA PEITUDA II – A SACANAGEM CONTI

Comendo a empregada peituda II – a sacanagem continua.





A saga sexual continuou. A cozinheira gostosa continuava trabalhando em minha casa e continua com sua tara insana. Não era todos os dias que conseguíamos transar ou fazer uma sacanagem, mas os olhares eram constantes. Aos sábados, quando todos meus parentes saiam a Cozinheira, já se encostava, roçando aquela bunda murcha ou aqueles peitos maravilhosos. Vinha sempre com a boca entreaberta, pedindo um beijo. Ou o meu falo. O beijo era um pretexto para começar as sacanagens. Chupava seus peitos, mordiscava aqueles bicos enormes, tirava sua roupa por completo. E sempre terminava com aquela boca carnuda engolindo meu pênis. E como chupava, lambia a cabeça, engolia toda a extensão do membro, e ainda massageava meus testículos, sorvia meu saco de forma fantástica. Sempre era um gozo cavalar, mas quase nunca chegávamos a cápula. Mas essa sina estava por acabar. Em um final de semana prolongado, meus familiares foram viajar para o interior e achei que ficaria em casa sozinho por três dias, mas tive uma surpresa agradável. Na manhã do feriado fui acordado pelo soar da campainha. Fui atender a porta bradando contra todos e contra tudo. Quando abri a porta da sala, tomei um susto. A Cozinheira estava a minha frente com uma roupa branca apertada e com aquela cara de safada corriqueira. Perguntei o que ela queria e ela não se fez de rogada. De forma rápida e sem pestanejar apontou para mim. Meio atordoado, fiz com que ela entrasse. Estava apenas com o short do pijama e meu pênis latejava e se eriçava de forma rápida e violenta. A Cozinheira não pensou duas vezes, arrancou minha roupa e começou aquela fantástica chupada de sempre. Estava tendo ali a melhor chupada de minha vida, e não demorou muito a gozar. Enchi a boca daquela vadia, o semen escorria pelo canto da boca e molhava seus peitos. A Cozinheira engoliu o que estava em sua boca e limpou o que estava em seu corpo. Continuou a chupar meu falo, desta feita de forma calma e propositalmente esperando que recupera-se minhas forças. Ela queria mais. Quando estava quase em ponto de bala, ela me fez deitar no chão. Fui obediente. Quando estava deitado, a negra vadia, fez um curto show particular. Tirava sua roupa e rebolava na minha direção. Já nua, a Cozinheira se posicionou sobre meu rosto. Pousou sua buceta na minha boca. Não pensei duas vezes. Chupei como um louco; enfiava minha língua naquela buceta molhada e desta feita pelada, sem nenhum pelo. Tocava seus peitos, e sentia que aquela mulher estava práximo a gozar. E não tardou. Seu gozo inundou minha face. Minhas mãos sentia seu corpo estremecendo. Deitou-se ao meu lado com a feição de satisfeita. Mero descanso. Começamos a nos beijar, ainda lado a lado; não tardou meu membro se animar. Aquela negra já estava sobre mim, roçando os peitos e aquela buceta no meu corpo. Me arrumei para meter na gruta dos prazeres, seria mesmo sem camisinha. Coloquei a cabeça do pau na buceta, comecei a enfiar e ela pediu para parar. Levantou-se e pegou sua bolsa, tirou um frasco e uma camisinha. Colocou o preservativo em mim e se virou de costas para mim. Desceu aquela buceta gostosa sobre meu pau e começou a cavalgar. Maravilhoso. Levantei um pouco o dorso e segurei seus peitos. O ritmo começou a aumentar. Comecei a arfar, prenuncio de meu gozo. A vadia percebeu. Parou seus movimentos e sussurrou em meu ouvido: “Come meu cu”. Não acreditava. Quase gozei com a frase. Tirou o pau da buceta, tirou a camisinha e lambuzou meu mastro com um unguento que estava no frasco. Ficou de cácoras e guiou-me ao seu cu. Primeiro foi devagar, percebia que era dolorido para ela, mas ela não desistia, nem ao menos reclamava. Forçava mais para baixo, gemendo baixinho. Por fim todo o membro estava dentro daquela pequena mulher, e ela começou a se mexer, nada compassado e ritmado, como antes. Desta feita, a Cozinheira estava louca, pulava como uma cabrita ensandecida, tentava movimentar meu quadril, mas não tinha como. A loucura tomou conta daquela vadia gostosa. Seu cu “mordia” meu pau e sentia suas nádegas contraindo de forma animalesca. Sentia seu corpo esquentando e suas mãos procurando algum apoio. Esticou os braços e segurando em minhas pernas fazia seu cu engolir meu pau. Ficamos alguns minutos nessa movimentação, quando subitamente sentia meu pau ser estrangulado por aquele ânus negro. Era o aviso do gozo da minha puta de plantão. Queria gozar junto e comecei a estocar com mais força. Não tardou gozarmos juntos, uma catarse sexual, mistura de sensações e de fluídos. Caímos desfalecidos lado a lado. Adormecemos, exaustos. Acordei no meio da tarde, ainda no chão da sala, com um bilhete: “Feche a porta. Volto amanhã”. Foi então que percebi que a minha Cozinheira tinha vindo apenas para ser traçada e estava louca para ganhar estocadas no cú. Volto no outro dia como se nada tivesse acontecido. Limpou a cozinha, fez o almoço e se foi. Duas semanas depois pediu demissão e nunca a mais a vi. Infelizmente.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos puta donovídeo pornô mulher casada fica cheia de tesão com a venda em Jarinuconto de noiva putinha do papaiminha mulher coroa nua conto eroticocontos eroticos eu e minha amigacontos de corno a bunda de minha noivaConto erotico avó gorda tia gorda safadas juntasconto gay de pai com vaqueirocontos eroticos surpresa para casadacontos eroticos com animaisEu fui trabalhar numa empresa eu comi minha patroa japonesa no motel conto eroticoconto erotico perdendo a virgindade da bucetaEla adora leitinho contosvideo porno os peões da minha fazendo me foderamconto noiva dando a outrocontos fudi a sogra do meu irmaocontos de amiga da filhaver contos eroticos de putinha dando pro irmao mais novocontos eroticos picante de calcinhaContos eroticos Machucaram minha bucetacontos eroticos evangelicas estupradas submissasheteroescravopaugrossocontoseroticoscontos flagrei um menino comendo o outro fiz chantagemcontos eroticos gays com vaqueiroscontoeroticocasadamulheres peladas encostada no pe de cocoo meu afilhado me comeu conto gay marido fas esposa virar puta e comer bota contos eroticosconto erótico de gay dando o cuzinho pro primo aos dez anoscontos eróticos velhinho gay idoso fudendo eorgia entre cdzinhas contos eroticosRelatos de amigos comendo casada bunduda do corno mansocontos eróticos quando eu quebrei o braço minha mãe foi dar banho em mimMeu marido comeu nossa filha, contoscontos erótico estuprada po bardidocontos erotecos fiz uma cabine pra minha mulherConto espiando a cunhadacontos eróticos me obedece putinhaconto gay moreno do messengerpenetrante contos de trepadas incestuosaseu vi minha amiga nua passando pro banheiro contos l¨¦sbicostransei com meu sobrinhodepos da bricadeira melevou pra tras da casa e comeu meu cu comto pornodando a bunda fedida no mato contos eroticos gaysmeu cuzinho desvirginadoContos eroticos travestis bhconto gay dos caescontos eroticos arrombando a gordaContos pego pela sogracontos eróticos sexo com menininhas traduzidosContos.eroticos traindo marido na.sala ao ladocontoerotico.sambandona pica do tiocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto vadiazinha adorocontos eróticos corno mansocasadasna zoofiiliacontos eroticos mais lidos novinhas meditarcontos eroticos podolatria gayo que sua esposa achou do menage femininocontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos eroticos gays no futebolcom fotosVelha fofinha em contos eroticocontos submissa crentecontos eróticos meu namorado deu o curso para não comerem minha bucetatconto erotico gay entre pai e filhoconto erótico homem castradoconto comendo e sendo comidoa coroa me mamou e me fez gozarconto erotico minha mae se masturbacontos eroticos com mendingoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentemeu marido me flagrou fodendo contos