Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TENTANDO O BORRACHEIRO (VERÍDICO)

Tentando o borracheiro (verídico)



Sai de uma reunião de negácios por volta das dez horas da noite, com um vestido de seda preto, na altura do meio das coxas, de alças largas preso por botões nas costas, meia calça preta, de coque, sem sutiã e de calcinha preta de renda, bem arrumada por motivo da importância da ocasião.

Já no bairro onde moro, percebi que havia algo errado com o pneu do meu carro. Andei mais um pouco para me aproximar de uma esquina mais iluminada, que ficava a alguns metros de uma borracharia.

Parei o carro e vi que caminhar ate a borracharia não seria bom negocio porque havia muito pouco movimento de carros, e de pedestres era nenhum. Ainda dentro do carro tirei o salto e a meia calça.

Tirei as coisas para trocar o pneu da mala do carro, e fiz todo o procedimento, mas estava tendo muita dificuldade para retirar os pinos. A posição também não ajudava para quem esta de vestido. Mas por sorte passou a motinha do socorro da borracharia e parou.

Quando o rapaz saltou da moto percebi que ele deu uma encarada na minha xoxota, porque eu estava de cácoras, mas logo fiquei de pé e fingi que nada tinha percebido.

O rapaz trocou o pneu e perguntou se eu não queria consertar o que havia furado, como ele me falou que não demoraria eu aceitei.

O segui ate a borracharia. Ele me ofereceu água enquanto fazia o conserto e me fazia perguntas do tipo se eu era casada, que era perigoso andar pela cidade aquela hora da noite, e tals. Notei o volume que se formou dentro do macacão e resolvi provocar um pouquinho.

Enquanto ele fazia o conserto me prontifiquei a ir soltando o estepe para em seguida por tudo de volta na mala.

Ele ergueu o carro, que estava em um “elevador”, uns 80 centimetros para a altura ficar mais confortável para mim.

No momento não entendi, porque ele estava consertando o pneu justamente do lado oposto ao meu, como ele suspendeu o carro seria impossível me observar. Na hora pensei, vou ter trabalho sem motivo, mas já que estava ali segui na troca.

Mais uns instantes e percebi que ele havia ficado em silencio, e que nem o barulho do concerto estava fazendo mais. Porem segui na troca, ainda faltavam dois pinos para retirar. Quando percebi que ele estava deitado no chão, do outro lado do carro, silenciosa e discretamente ele observava a minha boceta enquanto eu retirava o pneu.

Então eu levantei como quem ia dar uma esticada nas pernas, passei a mão nos joelhos para disfarçar, pois em pé ele sá conseguiria ver até a altura dos meus joelhos. Então silenciosamente, rasguei a minha calcinha de renda de fora a fora.

Passei as mãos nos joelhos novamente e me agachei. Quando terminei o movimento levei a mão até o meu sexo e resmunguei fingindo ter rasgado a calcinha naquele momento. E sem sair do lugar perguntei ao borracheiro se ali tinha banheiro. Percebi que ele se levantou e respondeu que sim, me avisando que não era limpo o suficiente para o meu uso. Então eu respondi que sá ia lavar o rosto porque estava muito quente.

Entrei no banheiro, tirei a calcinha e deixei lá em cima da tampa da privada. E voltei para retirar o ultimo pino, agora sem calcinha.

O borracheiro deixou o pneu ao lado de onde eu estava, como estivesse me avisando que havia terminado o concerto, e foi até o lado de fora da loja.

Confesso que fiquei com medo de seguir na minha provocação, pois eu não estava com nenhuma vontade de ser penetrada por aquele borracheiro.

Pensei duas vezes e resolvi ver onde ia dar. Me agachei, para retirar o pino, ele veio sorrateiro por traz de mim e passou a mão da minha xoxota até o final da minha bunda dizendo que eu era gostosa. Dei um salto, ficando em pé e perguntei que abuso era esse. Ele me respondeu que não aguentou, que eu era linda de mais.

Pedi para que ele terminasse o serviço, paguei e fui embora.



[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erotico incesto sonifero filhacunhadas taradas contos fotoscontos erotico arrombei o cu da negonaconto erotico o meu padrasto tesudoVer buceta mulhere mas buntuda do mundo contos sobre safadas na academiacache:oIMLEWITCAIJ:okinawa-ufa.ru/home.php?pag=99 minha iniciação gay contosputinha do velho contoscontos o marido da minha primacontos eroticos boqueteira da salacontos eroticos boqueteira da salaContos eróticos :fudendo a mãe e a irmã na cachoeiralésbicas infia arma gelada na ppk até gozaro cu rosinha de minha neta de 9 aninhosconto erotico meu penugemconto erotico esposa da sem camisinhacontos eroticos de ninfetas transado com cavalocontos eroticos mae desnaturada 23amigo chupa paus amigosContos eroticos cumeu irma e primacontos eroticos xingada e fudida por caminhoneiros velhoscontos mulher fode com vizinha e com a filha delacontos sexo com mae sitio brincando de esconde escondeconto comendo a sobrinha meninazoofilia filhotes bricando com a buceta da donacontos eroticos comi com.força a piranhametendoo con vpontadi pornoprno irimo bebadoporno Doido pau grande oroba busetaConto minha esposa dando pro policialnamu fudemo pairrocontos eroticos rex meu donofui transformado em menina contos pornocontos erotico abusada com vibradorestalos contos eróticosamiga filma amiga matrupado xvideocontos eroticos assaltoconto de meu irmão comeu meu cu com uma grande pica e eu não aguentei de dormarido corno/contoscontos eroticos comendo a velha horrosa dormindocontos eroticos pivete semencontos gay estrada calcinhaproctologista me comeu gayamiga travesti queria tirar virgindade eu dei eu chorei doeucontos porno de incesto real pai filha e mae juntosconto erotico viado afeminado escravizado por macho dominadorcontos pesados de arrombamento anal de evangelicass a forcaa cunhada mais nova pede para o seu cunhado gozar em sua boca tem RNA tomar galaMinha esposa obesa dormiu bebada e gozou dentro contoela queria dar uma dançadinha no quarto  Marilia e Juliana estavam mais uma vez fr ente a frente para uma dolorosa batalha. Ambas traziam nos corpos as marcas feitas pela outra em combates violentos e sangrentos. Marilia vestia tão somente uma minúscula tanga branca fio dental. Juliana uma  conto erótico garota hetero dominadacontos meu marido comeu minha mãecontos erótico me rasgaram mo acampamentocontos eróticos sadomasoquismo argola enfiada na bucetacontos eroticos sentada no colo do.velhocontos siririca com docecontos eróticos minha bundacontos eróticos comi o c* da minha cunhada na ilhaconto erotico raquel morena deliciosaconto erotico gay ordenhadovideos de filha de empregada de 18 ans se desvirginada d cu e buceta pelo filho do patraoNo motel os dois cabaços das duas amigas da minha filha conto eroticocontos eroticos escutei a irma dandoContos pornos-minha mae mamou o grelo da minha namoradao a bucetinha da coroaConto dei o cu no cine repúblicahttp://googleweblight.com/?lite_url=http://okinawa-ufa.ru/m/conto_15870_passando-as-ferias.html&ei=bgqnDUSn&lc=pt-BR&s=1&m=438&host=www.google.com.ar&f=1&gl=ar&q=Cherei+cocaina+e+dei+o+cu&ts=1487814662&sig=AJsQQ1Bemzq3_O_w9-hLtHRrssFP6FcBcQpai da minha amiguinha mostrou o pauzoofilia bruda com mininascontos eróticos com pezinhos da dentistacontos eroticos outro pou de presente para minha mulhercontos xxx sogracontos traindo com garoto de programacontos erotico de puta gozando no pau do velhoContos eróticos! Caçador de pau gigante me arrombou no matoo cu rosinha de minha neta de 9 aninhoscontos eroticos de travesti comendo seu namoradoconto eróticos ninfetinha q gosta de pica peitos cai de boca