Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMENDO A PEQUENINA PELA CASA...

O acontecido dessa vez não envolveu nenhuma das minhas priminhas putas, mas foi igualmente interessante. Na époda eu tinha já dezoito anos. Tenho um tio que é amasiado com uma mulher que se chama Carla, que tem dois filhos, um moleque mala de dez anos e uma linda garotinha de dezesseis anos. Camila é magra e pequenina, mas tem seios redondinhos e empinados, assim como um bumbum torneadinho. Seus cabelos são loiros e lisinhos, mas sua pele é um pouquinho amorenada.



Morávamos no mesmo bairro, e um belo dia encontrei a mocinha dentro do onibus que estava lotado. Acabei ficando atrás dela, para poder conversarmos. NAs sacodidelas do lotação, o corpinho esguio de Camila se encostava completamente no meu, e eu sentia sua bundinha relando em minha cintura por debaixo da calça jeans que usava. Conversamos sobre frivolidades e como tenho o costume de falar muita bobeira, chamamos a atenção de todos no onibus pelas nossas gargalhadas. Ela decia num ponto antes do meu, e me chamou para descer com ela, para não cortar o assunto. Desci e fomos caminhando até sua casa. Ela me chamou pra entrar e como não tinha nada pra fazer, aceitei. No modesto apartamento, apenas o irmão mais novo se divertia com um video game na sala. Camila então propos que fossemos para o quarto, para podermos conversar sossegados.



Entramos no quarto e ela encostou a porta.



"Estou louca pra tirar essa roupa" disse ela tirando a calça jeans. Fiquei paralisado, ao lado da porta, vendo a se despir da calça com um rápido movemento. Vi então a calcinha branca que usava, pequenininha, enterrada entre suas nádegas. Ela se virou e me encoarou.



"Algum problema?" o sorriso que ela tinha nos lábios era encantador.



Camila abriu a gaveta e tirou um pequeno vestido soutinho. Tirou a camiseta, mostrando-me um sutiã tambem branquinho, mas logo se vestiu. Meu penis formava um enorme volume em minha calça, que ela viu e sorriu. Ela se sentou na cama e me convidou a fazer o mesmo. Continuou a conversar frivolidades, mas eu já não conseguia pensar em outra coisa. Decorridos alguns minutos, ela me chamou pra ir à cozinha, preprar alguma coisa para comermos.



Lá, fiquei de pé, vendo-a preparar alguma coisa. Meu cacete continuava duro feito pedra. Do nada, me olhando com o memso sorriso tarado, disse:



"Estou com as mãos ocupadas e minha calcinha está me encomodando, poderia tirá-la para mim?"



Me apressei em satisfazer o pedido da pequena. Levantei seu vestido o suficiente para agarra a calcinha pelas laterais e guincha-la para baixo. No entanto, não abaixei o vestidinho. enterrei a mão em suas nadegas e senti meus dedos se molharem ao tocar sua bocetinha. Ela gemeu baixinho.



"Parou de incomodar?" perguntei sem parar de acaricia-la. Ela moveu a cabeça em negativa.



Enterrei um dos dedos em sua vagina e depois outro. Ela se contorcia, apoiando-se na mesa e arrebitando cada vez mais a bundinha. Da sala, podia ouvir os sons do video game e por vezes o irmãozinho chingando ou comemorando. Tirei o cacete pra fora e esfreguei no reguinho de Camila. Ela continuo a se contercer e soltou um mordido gemido quando enterrei de uma sá vez em sua bocetinha. Não sou bem dotado, apenas os suficiente para fazê-la gemer gostoso, embora tão baixo que eu mal ouvia. Segurei su cintura e estoquei feito um louco. O menino continua va sua jornada de jogos na sala enquanto sua irma se acabava no meu cacete.



"Vamos pro quarto..." disse ela sem muita força, deixando o vestido cair sobre o corpo e levando pela mão.



No quarto, tirei sua roupa com rapidez e fiz com que se ajoelhasse. Ela chupou meu cacete com voracidade, apalpando minhas bolas com a mão livre.



"Tive uma idéia" disse Camila me lançando outro daqueles olhares.



Ela saiu pelada pela porta do quarto, me levando até o corredor, onde continuo a me chupar. Com uma leve inclinada no corpo, eu podia ver seu irmão, e isso tornava as coisas mais excitantes ainda. Ela se levantou e voltei a bombar em sua bocetinha, desta vez carregando seu pequeno corpinho no colo e deixando-a escorregar sobre meu cacete. Andei por todos os cantos da casa onde o garoto não nos visse, carregando minha putinha pequenina em meus braços e sem sair de dentro de sua bocetinha.



No quarto de sua mae, deitei-a sobre a cama como uma galinha assada e a fiz gozar metendo com força em sua bocetinha. Continuei bombando até que fomos para o banheiro e lá ela me chupou mais uma vez, onde gozei em seu lindo rostinho. Ela batia meu cacete em sua face cheia de porra, espalhando ainda mais o esperma.



Voltei para o quarto ela tomava um banho. Logo depois a mãe dela chegou e eu achei melhor ir embora. Nos encontramos outras vezes e sempre que estamos sozinhos, ou com o irmão dela, damos um jeito de transar. Ela nunca confessou, mas algo me fez pensar que ela tinha uma tara com seu maninho...



Vai saber...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentechantagiei e comi a coroa choRandocontos eroticos so no cuzinhos das meninascontos eroticos no transei com a defurtarelatos eriticos menininhamulher traindo marido com cunhado dotado contoerroticocontos eroticos currada garganta profundaminha tia batendo um punheta para sobrinho contoscontos eroticos chupando seios gang bangcontos eróticos transando com coroas separadasconto transando com pau grandeg****** na xoxota da prima beijosComtoerotico filhinhas da vizinhacontos. eroticos minha amante e m cunhada casadacontos eroticos cunhada e sogrAimagem cuzinho irma contoshistória de zoofilia no interior com cachorro vira latacontos eroticos rasgandofinalmente consegui comer minha mãe contos eróticosconto erotico de escrava lesbContoseroticosviolacaocomendo o primo e olhando pela janela www.relato de sexo novinha ja emgatou com.cachorro.com.brcontos eróticoscontos eróticos gay EMMO o maconheirocontos erotico de puta levando rola de velho taradoconto erótico filha filha virar p***contos eroticos aquele pintinhoConto mete gostoso ui uicontos eroticos pique esconde com tiao pau do meu aluno conto eroticoconto erotico no sAcolãoempresaria casada safadas contos eróticos reaiscontos centadas no colo do titio no incestoconto erótico eu minha esposa e minha mãeponei arrombando morena com tesaocontos eroticos de mulheres gostosas tirando a virgindade do cuconto erotico comendo mae do analamigocontos de homens iperdotados comendo meninas e meninos gayscontos eroticos de transando com a cunhada casada e com seu marido bi sexualcontos de assalto com incestocontos/o cu da sogra era virgemcontos erticos de ninfetascache:oIMLEWITCAIJ:okinawa-ufa.ru/home.php?pag=99 comi minha sobrinha contos eroticoscontos eronicos d pessos q fodemcontos eróticos molecas b********contos eroticos de curtos relatos trvesti negra da picona comendo minha esposa no hotelcontos chantageada pelo meu maninhoContos porno convenci minha mulher a dar pra outromeu cunhado meteu a lingua na minha bocanovos contos eroticos de tias e suas calcinhas usadascontos pornos incestosConsolado pela sobrinhas contos eróticosContos puta negracontos eróticos mulheres de salto altocontos eroticoso passeio de barco eu meu marido e nosso peaomulheres sentam e mexem gostoso.homem não aguenta e goza rapidomcontos eróticos de comi a chata da clasecontos comi a mulher do amigo bebadacasa dos contos eroticos cuzinho dormindoMAE E FILHA SAFADAS CONTOmeu marido e meu cunhado conto realcontos eroticos curtos de zoofiliacontos inquilina negonaconto errotico apostando a esposaCuidado com oque deseja contos contos eróticos policiais comem viadoele comeu o meu cu e gosol na minha boca contos de novinhascontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travestiesposa puta do meu tio corno contoComtos eroticos fudendo com meu marido e nosso amigo